Doze policiais militares, entre eles um tenente-coronel e um major, foram presos. Grupo vendia serviço de vigilância para empresários e empresas privadas. Pelas imagens, cedidas pelo Ministério Público, um homem tira o combustível do carro da polícia e coloca em outro, particular. Ele está dentro do batalhão da PM em Assu, no interior do Rio Grande do Norte. O desvio de combustível acontece em pleno dia de trabalho. O flagrante foi resultado de nove meses de investigações do Ministério Publico do estado. Esta não foi a única irregularidade encontrada.
Outras imagens mostram policiais fardados, em horário de serviço, atuando como seguranças particulares. Eles fazem escolta para clientes. Descem dos carros oficiais e ainda acompanham uma pessoa durante o depósito em casas lotéricas e agências bancárias. Segundo os promotores, o grupo vendia serviço de vigilância 24 horas para empresários e empresas privadas.

Comentários