A Polícia Civil apresentou na manhã desta terça-feira (22), durante coletiva de imprensa, o suspeito de tentar estuprar e roubar uma taxista.

O fato ocorreu no dia 10, por volta das 20h30, em uma rua localizada nas proximidades do Unifor-MG. O homem foi preso no dia 17.

Segundo o delegado, Danilo César Basílio de Souza, a taxista de 29 anos relatou aos policiais que o suspeito chegou ao ponto de trabalho dela (Terminal Rodoviário)  e solicitou uma corrida  até as proximidades do Centro Universitário de Formiga. Ao chegar na avenida que dá acesso ao Campus, o homem, simulando estar armado, anunciou o assalto, levando a vítima para outro local.

Além de agredir a taxista, o suspeito tentou estuprá-la. No momento em que ocorria o fato, o telefone da vítima tocou e ela disse durante a conversa com o interlocutor que estava tudo bem. Porém, antes de terminar a ligação, percebeu que o suspeito não estava armado, e pediu socorro, informando o locam em que estavam e afirmando estar sendo assaltada.

Em seguida, a vítima tentou correr, sendo perseguida e agredida novamente, tendo o aparelho celular roubado.

O suspeito apresentado como autor do crime é bastante conhecido no meio policial, por furto, roubo e tráfico de drogas. Há ainda um registro de tentativa de homicídio que ocorreu quando o suspeito ainda era menor de idade. Ele foi reconhecido pela vítima, por meio de fotos apresentadas pela polícia e também pessoalmente após a prisão. Os colegas de trabalho da taxista também o reconheceram. Alguns afirmaram ter visto o momento em que ele embarcou no táxi.

O delegado responsável pelo caso, após as investigações e conclusão do inquérito policial, solicitou à Justiça a prisão preventiva do suspeito. Ele está sendo acusado de tentativa de estupro, lesão corporal e roubo consumado.

 

De acordo com o delegado regional, Irineu Coelho, somente no mês de setembro, dois casos de grande repercussão foram investigados e apurados pela Polícia Civil, os crimes foram esclarecidos e os suspeitos presos. O delegado se referia ao latrocínio na cidade de Pains e a este caso. 

 

apres 2 site Os delegados Irineu Coelho e Danilo César Basílio

Glaudson Rodrigues

Comentários