Nesta terça-feira (17), a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), informou que tem conhecimento das ameaças feitas por criminosos contra Formiga e outras cidades mineiras e que a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) investigará se elas “realmente partiram de custodiados de alguma unidade prisional do estado”.

Durante a madrugada desta, um ônibus foi incendiado em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, e um bilhete divulgado pelo grupo dizia que novos ataques serão realizados “de cidade em cidade até chegar em Formiga”. Os criminosos reclamam das condições de tratamento dos presos nas unidades prisionais do estado, “em especial”, na Penitenciária localizada em Formiga.

Cerca de 20 cidades estão entre os cerca de 200 km que separam Belo Horizonte de Formiga, como é o caso de Juatuba, Igarapé, Pará de Minas, Divinópolis, Cláudio e Itaguara. “Nossas familias tão (sic) sendo maltratadas, e nós presos estamos sofrendo uma covardia e vivendo de um jeito desumano, único jeito de chamar a atenção de órgãos maiores foi essa, pois somos trancados aqui em Formiga e esquecem que somos gente”, dizia o bilhete. “Começamos por BH e vamos queimando de cidade em cidade até chegar em Formiga. E, quando chegarmos lá, vamos acabar com a cidade”, destaca o recado.

O caso será investigado e caso seja comprovado, a Secretaria pretende atuar “de forma integrada com as forças de segurança” do estado para lidar com a situação.

Confira a nota: 

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), informa que tem conhecimento da ocorrência desta madrugada (17), quando um ônibus foi incendiado em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, e um bilhete com ameaças foi encontrado. Neste momento, é importante esclarecer que investigações serão realizadas a fim de elucidar se as ameaças realmente partiram de custodiados de alguma unidade prisional do estado.  

A ocorrência será investigada criminalmente pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). O Depen-MG aguarda a finalização das apurações policiais, que poderão apontar mais detalhes sobre o fato e, de forma integrada com as demais forças de segurança, poderá contribuir por meio das suas informações de inteligência.

As forças de segurança de Minas Gerais trabalham constantemente para a manutenção de um estado seguro. Ações estratégicas estão sempre em andamento, incluindo as medidas relacionadas ao sistema penal. Por questões estratégicas e de segurança, detalhes não são divulgados.

Atenciosamente,

ASCOM-SEJUSP

 

Fonte: Tribuna Centro Oeste e Sejusp

Comentários
COMPATILHAR: