Um caso de sequestro foi registrado em Pimenta. A Polícia Civil, comandada pelo delegado responsável pela seção de furtos e roubos de Formiga e Pimenta, Francis Diniz Guerra, prendeu na quinta-feira da semana passada (26) um homem de 50 anos, acusado de sequestrar e manter em cárcere privado uma incapaz, de 18 anos de idade.
Durante três anos, o homem escrevia cartas de amor dizendo estar apaixonado e também assediava a jovem, que é portadora de retardo mental e que, por isso, frequenta as aulas na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), na cidade de Pimenta.
No último dia 18 de agosto, a jovem, saiu de sua residência e, como fazia todos os dias, foi de ônibus até a Apae de Pimenta para as atividades diárias. Porém, conforme relato de testemunhas, neste dia, ela chegou à porta da escola, mas não participou das aulas, sendo vista no mesmo dia na garupa de uma moto pilotada pelo homem de 50 anos. Antes da fuga, eles ainda compraram balas em um comércio local e também foram vistos em um posto de combustível da cidade. Em seguida, ele levou a vítima para uma fazenda do município, onde trabalhava.
Diante dos fatos, o delegado Francis Guerra e sua equipe deram início às investigações, conseguindo localizar a vítima no dia 21 de agosto, pela manhã. O autor, no entanto, fugiu, sendo detido na semana passada.
O acusado, segundo declarações do delegado responsável pelo caso, aparentemente estava sendo acobertado pela irmã. Ainda segundo o delegado, a vítima que de início, mesmo não tendo uma noção exata do que estava fazendo, concordava com as atitudes do indivíduo, em determinado momento ela se arrependeu e solicitou que o sequestrador a levasse de volta para casa, pois não sabia o caminho de volta, uma vez que ela nunca havia saído de casa sozinha.
Entretanto, o sequestrador a forçou a ficar onde estavam, não deixando que ela fosse embora, mantendo-a sobre cárcere privado.
Na quarta-feira (1º), foi feita a reconstituição dos fatos pela Polícia Civil que, segundo o delegado, servirá para esclarecer as dúvidas que ainda existiam sobre o caso.

Comentários