A delegada especializada em Orientação e Proteção à Família e titular do Juizado Especial, Luciana Sousa realizou uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (13) para apresentar os resultados da segunda etapa da Operação Fukujin, que tem como objetivo combater a prática do Jogo do Bicho em Formiga.
Foram apreendidos, no dia 17 de fevereiro, diversos materiais como bloco de apostas, resultados de jogos, além de R$6.350,60 em dinheiro e R$9.541,34 em cheques, um total de R$15.891,94, que está depositado em um banco, à disposição do Juizado Criminal.
A primeira etapa da operação ocorreu em outubro do ano passado. ?Assim como na primeira fase, foram realizados 15 mandados de busca e apreensão. Observamos que os mesmos bicheiros e cambistas voltaram a atuar?, comentou a delegada.
De acordo com a delegada, o jogo do bicho dá sustentação para a sonegação fiscal e para a lavagem de dinheiro. ?Estivemos em 13 pontos e dois bicheiros foram cientificados que esse tipo de ação é ilegal. Mesmo assim, voltaram a agir com força total e provei isso ao juiz. Eles têm ciência de que estão sob ordem judicial, proibidos de praticarem a ação delituosa na cidade, caso contrário, terão a prisão preventiva decretada?, explicou.
Luciana Sousa disse ainda, que a segunda etapa da operação não está esgotada. ?O jogo do bicho está em Formiga há várias décadas. Meu trabalho é verificar vários outros cambistas. Na operação realizada em outubro passado, foram aprendidos R$83 mil, o segundo maior valor do Estado. A primeira foi em Montes Claros. A Polícia Civil mudou a forma de operar. A 4ª regional quer reprimir tudo que está errado, olhar os crimes de uma forma diferente. Queremos cortar o mal pela raiz?, finalizou.

Comentários
COMPATILHAR: