As Polícias Federal, Militar e Civil atuarão em conjunto para coibir e prender suspeitos de crimes eleitorais durante o período de votação, que acontece no próximo domingo (7), na região Centro-Oeste de Minas. A Polícia Militar afirmou que disponibilizará todo seu efetivo na região.

São considerados crimes de ordem eleitoral, entre outras coisas:

 

  • corrupção eleitoral ativa e passiva
  • uso de violência ou ameaça para coagir alguém a votar
  • fornecer alimentação ou transporte para eleitores
  • utilizar veículos, prédios e serviços públicos para beneficiar candidatos
  • Polícia Federal

De acordo com o delegado da Polícia Federal Daniel Souza Silva, em Divinópolis, as ocorrências deverão ser encerradas na Delegacia de Polícia Federal da cidade devido a uma regulamentação do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

“A regulamentação foi feita por parte do TRE e acertada com a Polícia Civil e Militar e prevê que, nas cidades onde houver sede da Polícia Federal, as ocorrências sejam encerradas na sede da Polícia Federal. Nas demais, as ocorrências eleitorais deverão ser encaminhadas à sede da Polícia Civil”, afirmou.

Ainda segundo Silva, durante a votação, equipes da Polícia Federal estarão presentes em todas as seções eleitorais da cidade. Dentre os agentes empregados, estarão alguns agentes à paisana.

Polícia Civil

Já a Polícia Civil atuará em escala de plantão, segundo o delegado regional de Divinópolis, Leonardo Moreira Pio, que coordenará a ação. Contudo, o efetivo será reforçado para que o processo eleitoral ocorra de maneira tranquila em toda a região.

“A Polícia Civil estará com todo seu efetivo de plantão reforçado [durante o domingo]. Eu estarei coordenando as ações da Delegacia Regional, em Divinópolis, que serão feitas em toda a região. Atuaremos nas seções eleitorais de maneira firme, dentro dos parâmetros legais, para que o processo eleitoral ocorra com a maior tranquilidade possível”, disse.

Polícia Militar

Já a PM empregará todo o efetivo disponível nos 50 municípios que integram a 7ª Região da Polícia Militar, segundo o major João Romeu Mendonça, e todo o planejamento já foi desenvolvido.

“Em todas as cidades foram realizados treinamentos com juízes e promotores eleitorais para capacitar o policial militar e não deixar dúvidas em quais casos ele deve atuar como garantidor da lei. Por isso, ações como boca de urna e panfletagem no dia das eleições serão coibidas pelos militares”, contou.

Em caso de irregularidade, tanto a Polícia Federal, quanto as Polícias Civil e Militar, pedem que o eleitor procure os policiais que estarão nas seções eleitorais dos municípios. Além disso, as denúncias também podem ser feitas através do 190 e nas delegacias.

 

 

 

Fonte: G1||

Comentários
COMPATILHAR: