O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) alerta os produtores rurais para o fim da segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa 2010 que termina na próxima terça-feira (30).
A vacina é a única forma de proteger os animais contra a febre aftosa. Ela deve ser aplicada duas vezes ao ano, em maio e em novembro.
A fiscalização da vacinação é de competência do IMA, órgão responsável pela defesa sanitária animal e vegetal em Minas. Após o término da segunda etapa da vacinação, o produtor deve obter a declaração que comprova a imunização de seu rebanho no escritório do Instituto mais próximo de sua propriedade até o dia 10 de dezembro. Para isso é necessário que o produtor apresente a nota fiscal de compra da vacina e a Carta Aviso – preenchida com o número de bovinos e bubalinos existentes em sua propriedade e os animais imunizados por idade e sexo.
O IMA alerta que o produtor que deixar de imunizar seu plantel, será penalizado com uma multa de R$ 49,98 por animal não vacinado, e o seu rebanho terá vacinação assistida (oficial) realizada pelos técnicos do Governo de Minas. Todas as despesas correrão por conta dos produtores.
O diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, informou que para ser considerado livre de febre aftosa, o país deve comprovar que não existem casos da enfermidade em seu território. ?Atualmente, Minas é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa com vacinação. No entanto, o estado está empenhado em transformar o seu território em área livre da doença sem vacinação?, afirma.
A erradicação definitiva da Febre Aftosa, que abrirá novos mercados para o agronegócio mineiro, ainda necessita que a vacinação seja mantida, para evitar o ressurgimento da doença. A vacinação é a obrigação principal do produtor rural.

Comentários
COMPATILHAR: