Pela terceira vez durante este ano, o gás de cozinha terá um aumento de 3%.
Só neste ano, o preço do gás de cozinha, em Minas Gerais, teve dois reajustes. Subiu cerca de 33%, no último reajuste e, agora em maio, passou de R$ 39 para R$ 41, podendo chegar a R$ 45, bem acima do valor cobrado no restante do país, que é em média R$ 33.
No início do ano, a população pagava pelo gás cerca de R$38, e durante este período teve um aumento de R$ 5,20 até o mês de maio e hoje paga-se em média R$40.
Em maio, o preço aumentou aproximadamente 3 % e, de acordo com Alexandro Gomes, proprietário de uma revendedora de gás de cozinha da cidade de Divinópolis, o consumidor irá sentir este último aumento, somente daqui a duas ou três semanas. ?As distribuidoras estão permanecendo com o preço antigo na hora da compra, mas isto não irá demorar muito. Em duas ou três semanas o preço do gás no município está praticamente igual à média do estado?, informa.
De acordo com o coordenador do setor de pesquisa de preços do Procon Assembléia Legislativa de Minas Gerais, Paulo Emílio de Oliveira, o preço do botijão de 13 quilos subiu 26% nos últimos dois anos, índice acima da inflação do período. Segundo o estudo não há nada que justifique esse aumento.
Dona Marta Otoni é comerciante de um restaurante da cidade e gasta cerca de 140 reais por semana referentes a 4 botijões de gás. Segunda ela, ?quem mexe com restaurantes, bares e lanchonetes fica prejudicado com o aumento dos preços. Nós que trabalhamos com uma quantia grande de gás, pagamos mais caro e não aumentamos o preço dos produtos, pois se aumentarmos, os consumidores irão diminuir as compras. Enquanto isso os produtos acabam dando menos lucro para os estabelecimentos?.

Comentários