O consumidor mineiro está pagando até 12,37% mais caro no litro do leite em Belo Horizonte. Segundo levantamento divulgado ontem pelo site Mercado Mineiro, feito em 11 supermercados da capital, o preço do tipo Longa Vida Integral é encontrado, em média, a R$ 2,18.
Os derivados, como queijo, manteiga e requeijão, também acompanharam a alta. A trajetória de queda no volume de produção, aliada à redução da oferta, fez o preço médio do produto disparar, explica o diretor executivo do site, Feliciano Abreu, que também afirma que a expectativa é de que os preços continuem subindo até julho.
De acordo com a pesquisa, o preço médio do leite integral Itambé, por exemplo, subiu de R$ 1,94 para R$ 2,18. Já o leite desnatado Cotochés de 1 litro, que custava em média R$ 1,94 no dia 20 de março, agora é vendido por R$ 2,16, alta de 11,34%. No caso dos derivados, a manteiga Cotochés de 500g teve um aumento de 16,12%, saltando de um preço médio de R$ 7,01 para R$ 8,14.
Para Feliciano, o consumidor deve experimentar novas marcas e levar em conta o preço. Nesse caso, o ideal é aproveitar as promoções e fazer um pequeno estoque, sem comprometer o orçamento, recomenda.

De acordo com o presidente das Comissões de Pecuária de Leite da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e da CNA, Rodrigo Alvim, a produção de leite está escassa e o custo excessivamente alto por conta do período da entressafra, que vai de abril até início de maio.

Comentários