Venceu no dia 15 de agosto, o prazo estabelecido pela Prefeitura de Formiga para que a Casa de Apoio, em Belo Horizonte entrasse em funcionamento.
No dia 1º de julho, uma comitiva formada pelo prefeito Moacir Ribeiro, os vereadores Evandro Donizeth da Cunha (Piruca) e Luciano Duque, além dos secretários Gonçalo Faria (Fazenda) e Mauro Carlos de Souza (Procuradoria) esteve na capital do Estado para visitar o local que abrigaria a Casa de Apoio.
O imóvel, que deveria hospedar acompanhantes e pacientes formiguenses em dias de consultas ou cirurgias marcadas em Belo Horizonte, está localizado dentro da área hospitalar, a poucos metros da Santa Casa, do Pronto Socorro João XXIII, do Hospital das Clínicas, de uma série de clínicas especializadas e do Restaurante Popular.
A última informação da Prefeitura sobre o assunto, divulgada no dia 3 de julho, informava o valor do aluguel da residência (R$4 mil/mês) e dava conta de que a reforma do local seria custeada pelo proprietário.
Vencido o prazo determinado pela administração, o jornal buscou informações, ainda na semana passada, sobre a data de inauguração e descobriu que o contrato entre Prefeitura e o locador do imóvel sequer havia sido concluído.
Uma semana após os primeiros questionamentos da redação, a Secretaria de Comunicação, enfim, enviou nota explicando a situação, sem dar detalhes sobre o que teria impedido o ?fechamento do negócio?: ?Não foi possível concluir a negociação do aluguel do imóvel, onde iria funcionar a Casa de Apoio, em Belo Horizonte. A Prefeitura de Formiga já está buscando outro imóvel na mesma região, visto a facilidade e comodidade que irá proporcionar aos pacientes em tratamento. Dois imóveis na mesma área já foram oferecidos ao município. Nos próximos dias eles serão visitados, para analisar se as estruturas dos imóveis atenderam (sic) as demandas da Casa de Apoio. ?Inúmeras pessoas serão beneficiadas com a criação da Casa de Apoio em Belo Horizonte, a população mais humilde e que necessita desses serviços sabe o valor que este local terá?, frisou o prefeito Moacir Ribeiro?, conclui a nota oficial.
Atualmente, quem precisa ir até a capital e faz uso dos veículos disponibilizados pela Secretaria de Saúde enfrenta um verdadeiro calvário, saindo de Formiga ainda de madrugada, precisando esperar durante horas em frente aos hospitais e clínicas até o horário previsto para a consulta e aguardar mais um longo tempo até o retorno do veículo que chega em Formiga, muitas vezes, após às 21h. São muitas as histórias de quem passa o dia inteiro sem alimentação, por falta de condições financeiras, assentado debaixo de marquises ou em calçadas. Pessoas que lutam contra enfermidades, muitas vezes contra o câncer, expostas às intempéries, muitas vezes deitadas em bancos de praças públicas, após passar por procedimentos complexos como quimioterapia.
A exemplo dos imóveis de igual destinação bancados por outras cidades, como Piumhi, a Casa de Apoio oferecerá alimentação, local de descanso e banho, trazendo um mínimo de dignidade à população que demanda tal serviço.

COMPATILHAR: