O Procon de Goiás autuou o frigorífico responsável pela promoção “Picanha do Mito”, que resultou em confusão e tumulto no domingo (2), dia das eleições. Uma mulher chegou a passar mal e morreu após ser esmagada na aglomeração. Durante a ação do Procon, o estabelecimento, que fica no bairro Jardim Goiás, em Goiânia, foi flagrado comercializando 50 quilos de carne impróprios para o consumo.

Durante a fiscalização, foram apreendidos mais de 44 quilos de carne refrigerada sem informações sobre a data da embalagem e o prazo de validade, além de 5,5 quilos de carne e dez unidades vencidas de tempero e suco de laranja. Os alimentos e bebidas foram descartados no local. Após ser autuada, a empresa pode pagar uma multa que varia de R$ 754 a R$ 11,3 milhões.

O frigorífico foi notificado a prestar esclarecimentos no prazo de dez dias sobre a promoção realizada no domingo, quando anunciou, em suas redes sociais, a venda do quilo da “picanha do mito” por R$ 22. O que chama atenção é que o quilo da peça normalmente custa R$ 129,99, segundo informou o Procon.

O valor com desconto, segundo a promoção, poderia ser pago por quem estivesse vestindo a camiseta do Brasil. A ação gerou longas filas e provocou tumulto entre os clientes na porta do estabelecimento. A Polícia Militar foi acionada e uma mulher que estava no meio da confusão passou mal e morreu após procurar atendimento médico. O caso foi registrado inicialmente como morte acidental na Polícia Civil.

No termo de notificação, o Procon Goiás solicita uma série de informações, como a relação de produtos ofertados no dia, com informações sobre os preços reais, promocionais, duração da oferta e condições impostas ao consumidor para participar da promoção, cópias das notas fiscais de compra do produto colocado em oferta no período de 2 de setembro a 2 de outubro e informações sobre o estoque inicial e estoque final do dia da promoção.

Também foram pedidas imagens capturadas pelas câmeras de segurança, em especial as localizadas no interior da loja, durante a realização da promoção.

Fonte Portal UOL

Comentários
COMPATILHAR: