A produção industrial registrou queda em 11 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em fevereiro de 2013, já descontadas as influências sazonais, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (5). No mês, a atividade fabril caiu 2,5%.
A maior queda partiu de Minas Gerais (-11,1%), que havia registrado alta de 1,5% no mês anterior. Na sequência, estão Bahia (-3,7%), Ceará (-3,2%), Pernambuco (-3,2%) e Pará (-2,5%). Tiveram baixa, mas inferior à média nacional, Paraná (-2,2%), Região Nordeste (-2,0%), Espírito Santo (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,5%), Amazonas (-1,2%) e São Paulo (-0,5%).
Na contramão da maioria das regiões estão Goiás, que viu a atividade fabril crescer 5%, Rio Grande do Sul (2,1%) e Santa Catarina (0,4%).
Em relação a fevereiro de 2012, a produção industrial, que caiu 3,2% em todo o país, recuou em 10 dos 14 locais pesquisados, com destaque para Espírito Santo (-13,4%), Minas Gerais (-9,8%) e Pará (-7,2%),pressionadas em grande parte pelo comportamento negativo dos setores de metalurgia básica; veículos automotores; metalurgia básica e indústrias extrativas e celulose, papel e produtos de papel (celulose).
Também mostraram queda as produções de Pernambuco (-6,0%), do Paraná (-5,5%), da Região Nordeste (-4,1%), de Santa Catarina (-3,3%), do Amazonas (-3,2%), da Bahia (-2,2%) e de São Paulo (-0,8%). Por outro lado, mostraram alta Goiás (9,1%), Rio de Janeiro (3,6%), Rio Grande do Sul (2,0%) e Ceará (0,9%).
Nos últimos 12 meses, o total nacional registrou queda de 1,9%. Em termos regionais, 9 dos 14 locais pesquisados também caíram, mas sete mostraram avanço frente ao índice de janeiro. Os resultados negativos mais acentuados nesse mês foram registrados por Espírito Santo (-7,6%), Amazonas (-6,9%), Paraná (-6,0%) e Rio Grande do Sul (-4,4%), enquanto Bahia (2,7%) e Goiás (2,0%) apontaram as expansões mais elevadas.

Comentários
COMPATILHAR: