Cerca de 1.000 professores protestaram na Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas, na manhã desta sexta-feira (5). O ato é em prol do piso salarial da categoria.

Conforme o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), o reajuste de 11,36%, autorizado pelo Ministério da Educação (MEC), não consta no contracheque de janeiro dos professores, depositado nesta sexta. Os manifestantes do interior do Estado chegaram de ônibus, em caravanas, e aguardam outros colegas da região metropolitana.

Ainda segundo o sindicato, está prevista para até o fim desta manhã uma reunião com o secretário de Governo, Odair Cunha. No caso de descumprimento de acordo, a categoria já ameaça com um ostensivo calendário de paralisações. E, independentemente disso, vai aderir à greve nacional da educação, marcada para os dias 16,16 e 17 de março.

“A intenção do funcionalismo é a de começar o ano letivo, mas isso só depende da Secretaria de Educação”, disse o Sind-UTE.

Governo

Sobre esse reajuste e sobre a Lei 100, os secretários de Estado de Governo, Odair Cunha; e de Educação, Macaé Evaristo, vão atender a Imprensa às 13h30 desta sexta-feira (5), na Sala de Pronunciamentos, no 4º andar do Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa.

 

 

 

Fonte: Reportagem O Tempo||http://www.otempo.com.br/cidades/professores-cobram-do-governo-reajuste-de-11-36-autorizado-pelo-mec-1.1227067

Comentários
COMPATILHAR: