A greve dos caminhoneiros que atinge vários estados brasileiros chegou ao seu quarto dia. A categoria protesta contra a alta dos combustíveis. Em Minas Gerais, por volta das 8h, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabilizava 47 pontos de interdição nas BRs. Nesses pontos há restrição de passagem para veículos de carga, inclusive caminhonetes e furgões.

Já nas estradas sob responsabilidade da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), por volta das 8h30 havia cinco pontos com restrição de carga.

Confira os pontos de paralisação:

Formiga
Em Formiga, os caminhoneiros fecharam o km 203 da MG-050, no posto Planalto. A pista está sinalizada com cones. Somente veículos com carga perecível, passageiros e carga viva estão circulando na região.

Córrego Fundo
A manifestação em Córrego Fundo acontece no km 07 da LMG-830, próximo à MG-439.

Arcos
Em Arcos, a manifestação segue de forma pacífica na BR-354, do km 475 ao km 476, conforme a PMR.

Divinópolis
Na cidade, as manifestações ocorrem no km 28 da BR-494, onde os manifestantes estão restringindo a passagem de veículos de carga, e no km 132 da MG-050, onde os caminhoneiros estacionaram os veículos dentro de um posto de combustíveis.

Papagaios
Na cidade, a PMR informou que existem cerca de 20 caminhoneiros dificultando o acesso à rodovia MG-060, na altura do km 153.

Pitangui
Pelo menos quatro manifestantes continuam estacionados na BR-352, próximo ao km 449, segundo a PMR.

Martinho Campos
Em Martinho Campos, a PMR informou que os manifestantes estão na MG-164, próximo ao entroncamento com a BR-352, e que a manifestação segue de forma pacífica.
As manifestações em Cláudio e Itaúna foram encerradas, segundo a PMR.

Outros pontos no Estado:

  • MG-010, km 18, sentido Belo Horizonte: caminhoneiros no acostamento
  • BR-356, km 56, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • BR-356, km 73, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • MG-129, km 130, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • MG-424, próximo à Cidade do Galo: rodovia bloqueada no início da manhã, já liberada.
  • Anel Rodoviário, altura do Bairro Olhos D’Água, trecho da BR-040.

A paralisação causou desabastecimento de alimentos e combustíveis, comprometendo vários setores. Sem fornecimento de alimentos, os produtos começaram a desaparecer da Ceasa Minas e os preços dispararam, com aumento médio de 140% e em alguns casos de até 470%, como na batata.

Os postos de Minas, São Paulo e outros estados começaram a ficar sem combustíveis. A BHTrans anunciou redução de 50% das viagens de ônibus fora do horário de pico e as empresas avisam que podem ser obrigadas a parar nos próximos dias. A PM diminuiu as viaturas nas ruas.

A falta de combustível também afeta os aeroportos. Em Brasília, pelo menos três voos foram cancelados e terminais de São Paulo, Recife, Palmas, Aracaju e Maceió só tinham querosene de aviação para operar até essa quarta-feira (23). Para tentar amenizar o problema, no início da noite o presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou redução de 10% no preço do diesel durante 15 dias.

 

Fonte: Com informações do O Tempo e G1 ||

Comentários
COMPATILHAR: