Há um tempo, especialistas já vêm alertando para os riscos da automedicação ou mesmo interrupção de tratamentos médicos sem autorização. Estes dois fatores são responsáveis pelo surgimento da dor crônica, problema que, segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Estudos da Dor, atinge 28% da população do país.
O que acontece é que o cérebro se acostuma à sensação desagradável de dor e passa a reproduzi-la toda vez que recebe estímulos, mesmo que pequenos. A automedicação e falta de tratamento correto podem então transformar uma dor passageira em crônica.
Ainda segundo a Sociedade, os analgésicos camuflam a dor e não devem ser tomados, pois vão agravar e mascarar o problema. Um médico deve ser consultado, para iniciar um tratamento e fazer com que o paciente fique um tempo sem sentir dor. Somente assim ele será curado.
As dores crônicas são comuns tanto nas mulheres quanto nos homens, e ocorrem principalmente nos músculos, na região lombar e na região pélvica. A dor de cabeça também pode ser crônica.

Comentários
COMPATILHAR: