A Prefeitura de Formiga divulgou, por meio de nota, na segunda-feira (1º), que desde a tarde de domingo (31), o abastecimento de água da cidade havia sido restabelecido após serem feitos reparos na canalização da adutora que se rompeu no bairro Santa Luzia.

Em nota, a administração explicou que nos bairros mais altos demoraria um pouco mais para que a água voltasse a ser fornecida.

Porém até a quarta-feira (3), moradores de vários pontos da cidade, inclusive os abastecidos por meio de poços artesianos, reclamavam da total falta de água há dias. Em alguns casos, o desabastecimento ou fornecimento irregular já completa três semanas, e sobre esses problemas, nenhuma nota oficial foi emitida.

 

Nossa Senhora de Lourdes

No bairro abastecido por meio do poço artesiano, do bairro Jardim das Acácias, o problema já dura duas semanas. Na região da Escola Municipal Miralda da Silva Carvalho, desde o dia 21 de maio o abastecimento ocorre de forma irregular. “Corre água de madrugada, por pouco tempo, o que não está sendo suficiente para encher a caixa”, comentou uma moradora, que entrou em contato com a redação.

No sábado, de acordo com moradores, funcionários do Saae passaram a tarde toda abastecendo residências com caminhão pipa.

 

São Sebastião

O problema se repete no bairro São Sebastião. Na terça-feira (2), moradores da rua Suriname e Guiana especificamente, convivem há meses com problemas de abastecimento. “Já entramos em contato com o Saae, mas não solucionam o problema. O que fazem é abrir buracos em algumas ruas, ‘mexem’ em alguma coisa e fazer muita poeira, aí a situação melhora um ou dois dias e volta a faltar água”, comentou um morador da rua Suriname.

Nas duas ruas, a população chega a ficar 6 dias sem abastecimento. “Não bastasse isso, conseguir que o Saae nos abasteça por meio de caminhão pipa é uma tortura”, completou o morador.

 

Ércio Rocha

No bairro Ércio Rocha, também abastecido por poço artesiano, a população também ficou desabastecida no fim de semana. Como não é comum faltar água no bairro, poucos perceberam o problema que foi notado, pela maioria, na segunda-feira.

Segundo informações dos moradores, foram feitas várias tentativas de contato com o Saae para saber o que teria provocado a falta d’água e quando o abastecimento seria normalizado, porém todas as tentativas foram frustradas.

No Ércio Rocha e no Alvorada a situação foi controlada e na terça-feira (2), as casas já estavam abastecidas.

 

Na Prefeitura

Na segunda-feira (1º), o jornal entrou em contato com a Prefeitura buscando informações sobre a falta d’água nos bairros, mas até o fechamento da edição, nenhuma resposta havia sido enviada.

 

Redação do Jornal Nova Imprensa

Comentários