O brasileiro Danilo Cavalcante, de 34 anos, foi capturado pela polícia da Pennsylvania, nesta quarta-feira (13), após ficar 14 dias foragido e apavorar a população dos Estados Unidos. O trágico crime cometido por ele, no entanto, é pouco conhecido.

Há pouco mais de dois anos, na tarde de 18 de abril de 2021, a então namorada de Cavalcante, Deborah Brandão, de 33 anos, estava no jardim de casa, em Schuylkill Township, com os dois filhos pequenos, uma menina de 7 anos e um menino de 3. O brasileiro apareceu e disse à família que “faria algo ruim em [nas] vidas [deles]”, de acordo com o jornal The Philadelphia Inquirer.

Em seguida, Cavalcante tirou duas facas de um saco, arrastou Brandão para o chão e a esfaqueou brutalmente 38 vezes na presença das crianças, de acordo com a Promotoria Distrital do Condado de Chester.

 

Quem era Deborah Brandão?

Mãe solteira, Brandão saiu do Brasil e foi morar nos Estados Unidos para conseguir uma “qualidade de vida” melhor para ela e os filhos, segundo a CNN. A irmã Sarah — de quem era inseparável — já morava no país na época. “Ela queria dar uma vida melhor para as duas”, disse a mulher. A vítima e a irmã moravam próximas uma da outra e trabalhavam juntas na empresa de limpeza doméstica de Sarah.

Quando Brandão começou a namorar Danilo Cavalcante, um vizinho também brasileiro, ela achou que tinha encontrado um bom par. “Ela disse que ele era legal com ela, era legal com os filhos dela, que a ajudava”, disse Sarah. “Ele fez companhia a ela. Ela não se sentia mais sozinha.”

A dupla namorou por cerca de um ano e meio e, no final, ele se tornou ciumento e fisicamente abusivo, ameaçando matá-la. Em meio a isso, a mulher também descobriu que as autoridades brasileiras procuravam Cavalcante por um suposto assassinato que ele cometeu em 2017, antes de fugir para os EUA.

Antes de buscar proteção contra os abusos, a vítima ameaçou denunciar o que sabia depois que Cavalcante invadiu sua conta no Instagram, segundo a Forbes.

Sem sucesso, ela apresentou uma ordem de restrição contra ele no ano anterior, mas a medida não foi o suficiente para mantê-la segura. Após assassiná-la, Cavalcante fugiu para a Virgínia, onde as autoridades o alcançaram.

Há pouco menos de um mês, em 16 de agosto de 2023, um júri considerou Cavalcante culpado por homicídio em primeiro grau e outras acusações, e um juiz posteriormente o condenou à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

Dias depois, em 31 de agosto, no entanto, o criminoso escapou da prisão do condado de Chester e ficou foragido por 14 dias, até ser encontrado nesta quarta-feira.

 

Fonte: R7

COMPATILHAR: