Para que o Carnaval continue sem contratempos, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) alerta: todos que foram imunizados há mais de dez anos contra a febre amarela devem receber uma nova dose da vacina contra a doença.
De acordo com a coordenadora de imunização da SES, Tânia Brant, 2011 marca os dez anos da grande campanha contra a febre amarela, realizada em 2001 com grande êxito no controle e combate da doença.
Estão disponíveis em todo o Estado mais de 4 mil postos de saúde que disponibilizam, a todos os cidadãos, a vacina contra a febre amarela. A vacina é indicada para crianças a partir dos 9 meses de idade, com um reforço a cada 10 anos. Em áreas onde está ocorrendo a circulação do vírus, a vacina pode ser administrada a partir dos 6 meses de idade, não tendo mais discriminação na faixa etária.
Vacinação
A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação. Estudos demonstram que mais de 90% dos vacinados apresentam anticorpos no 10º dia após a vacinação. Pessoas já vacinadas precisam apenas de um reforço, contudo, a imunidade não pode ser considerada imediata, podendo variar entre os 10 dias recomendados.
Existem alguns casos em que a vacina contra a febre amarela não é indicada, como crianças com menos de seis meses de idade e pessoas com alergia grave ao ovo de galinha e seus derivados. Mulheres grávidas, em qualquer fase da gestação, devem ter sua situação analisada por um médico para cada caso na vigência de surtos.
A vacina não deve ser aplicada em pessoas portadoras de imunodepressão transitória ou permanente. Nestes casos, a imunodepressão pode ser provocada por doenças como câncer e infecção pelo HIV ou pelo tratamento com drogas imunossupressoras, como corticóides e radioterapia. A vacina é contra indicada também em pessoas com doença do Timo ou que retiraram este órgão. Em caso de doenças crônico-degenerativas, o médico deve ser consultado.
Há também situações em que o cidadão deve avaliar junto ao profissional de saúde o adiamento da vacinação. Essa recomendação vale para pessoas com doenças agudas febris moderadas ou graves até a resolução do quadro. Se a pessoa estiver com febre acima de 38 graus, pode ser indicado que ela não seja imunizada naquele momento.
Além disso, uma vez vacinada, a pessoa só poderá doar sangue após três semanas. Com relação aos indivíduos soropositivos para o HIV e que se desloquem para áreas de risco de transmissão de febre amarela, há indicação da vacinação levando-se em conta a contagem de CD4 e carga viral. Ou seja, é necessário avaliar o quadro junto ao médico.

Comentários