A chefe da epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Juliana Castro, apresentou nesta terça-feira (9) a Avaliação do Sispacto 2008, que tem os resultados de 28 indicadores. Destes, Formiga deixou de cumprir sete, não atingindo as metas pactuadas.
No indicador razão de exames citopatológicos cérvico vaginais na faixa etária 25-59 anos, a meta pactuada em 2008 foi de 0,3% e o município alcançou apenas 0,25%. Sobre a proporção de investigação de óbito infantil, a meta era 100% e foram atingidos nada mais do que 25%. O percentual de unidades que desenvolvem atividade física tinha meta de 93%, mas foram registrados somente 28,5%.
A cobertura de primeira consulta odontológica tinha que atingir a meta de 13% e foi de apenas 7,05%. A média anual de consultas médicas, como mostrado na página ao lado, era de 1,5%, da população residente, mas não cumpriu a meta, atingindo 1,25%.
Nem mesmo a cobertura vacinal por tetravalente em menores de 1 ano alcançou os
756 casos que deveriam e atingiu 740.
Também a proporção de óbitos não fetais informados ao Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM) com causa básica definida era para atingir 90% e foi alcançado 85%.
Segundo informou a chefe de epidemiologia, alguns dos indicadores não foram atingidos por problemas no sistema do banco de dados, por não terem sido diagnosticados todos os casos e atendimentos, como no caso dos óbitos infantis e cobertura vacinal. No caso da primeira consulta odontológica, não atingiu devido à demora na manutenção de consultórios e reposição de materiais, além disso, pelo alto número de cáries, muitos pacientes demoram no tratamento, impedindo o atendimento de novos pacientes.
Os membros do Conselho Municipal de Saúde, ao se cientificarem dessas informações, pediram mais investimentos tanto financeiros quando de recursos humanos para sanar esses problemas. Foi questionado se com o não cumprimento desses indicares poderia haver cortes de verbas. Juliana Castro informou que a secretaria tem que cumprir pelo menos 70% dos indicadores, no caso de Formiga, cumpriu 75%.
Um dado preocupante apresentado pela secretária de Saúde, Luiza Flora, foi que Formiga pode ser penalizada se as cidades da microrregional não cumprirem algumas metas, como no caso da dengue.

Comentários