Desde o fim da manhã de quinta-feira (11), dezenas de pais e familiares de alunos que em 2015 ingressarão no primeiro ano do ensino fundamental estão nas ruas de acesso para duas escolas municipais: Professor Franklin de Carvalho, no bairro Bela Vista, e Paulo Barbosa, no Souza e Silva, aguardando a realização das matrículas que serão feitas apenas na segunda-feira (15)
Durante o dia, quem está na fila leva apenas água, lanches e cadeiras para ficarem acomodados. Mas é a noite, ao relento, que a situação se complica. Já na madrugada desta sexta-feira (12), colchões foram espalhados pelas calçadas e pais e familiares ficaram expostos a perigos e à chuva.
Na Escola Franklin de Carvalho, para organizar a fila que pode ter no máximo 42 pessoas (número de vagas disponíveis na escola), os pais fizeram uma lista e, de hora em hora, são realizadas chamadas para confirmar a presença de todos os interessados. Agora, quem chega ao local já é avisado que na fila já há número suficiente de pessoas para o preenchimento de todas as vagas.
Os pais estão revoltados, mas garantem que permanecerão em frente às escolas se esta for a alternativa para darem aos filhos uma educação melhor. ?Temos várias escolas na cidade, mas apenas duas são realmente boas. O resultado é este aqui?, comentou uma mãe.
Ney Carlos Sampaio também está na fila em busca de uma vaga para a filha na escola Professor Franklin de Carvalho. ?Hoje (sexta-feira) pela manhã o secretário de Educação (Geraldo Reginaldo) passou aqui na rua e zombou de todos nós. Um enorme desrespeito! Estamos aqui porque desejamos o melhor para nossos filhos. Acho que para o cargo que ele ocupa, deveria no mínimo ser mais educado e respeitoso. Se o serviço dele fosse bem feito, todas as escolas da cidade teriam a mesma qualidade e não precisaríamos lutar tanto por uma vaga. Eu não censuro os pais que vieram do Engenho de Serra para matricular os filhos aqui. Queremos educá-los em instituições de qualidade e esse direito ninguém pode nos tirar?, comentou o pai, que mora bem próximo da escola onde pleiteia a vaga.
Outros pais que estavam no local reclamaram da atitude do secretário. ?Ele falou que estamos aqui porque queremos, que ele não tem nada com isso se estamos fazendo papel de trouxas. Isso é mesmo verdade, não nos pediram para vir para cá, mas não é a primeira vez que acontece. O que deu errado no ano passado (quando as filas já haviam se formado dias antes da data de realização das matrículas), a administração tem a obrigação de melhorar. Podiam ter distribuído senhas por ordem de chegada, é o que estamos fazendo informalmente?, disse uma mãe que está revezando com familiares para garantir a vaga do filho.
Questionada pelo jornal sobre a fila e as reclamações dos pais, a administração emitiu nota informando que:
?1) A Secretaria de Educação não estimula nem recomenda que os pais fiquem dias diante das escolas. Porém, trata-se de uma decisão particular e fruto da autonomia dos pais.

2) A secretaria compreende que o ensino de excelência leva os pais a quererem matricular seus filhos na Franklin de Carvalho, na Paulo Barbosa e outras. No entanto, a qualidade se repete em toda a rede municipal de ensino, o que pode ser comprovado verificando-se o resultado brilhante das escolas alcançado no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), conforme amplamente divulgado.

3) De sua parte e tendo em vista o que determina a lei, a secretaria assegura que há vagas para todos os alunos do município. Portanto, nenhum aluno ficará sem ser matriculado, mesmo que a escola não seja aquela preferida pelos pais.

4) A proposta de distribuir senha seria injusta com os demais pais que aguardarão até o dia 15, segunda-feira, para ir à escola, tendo em vista não ter sido divulgada com antecedência. Além disso, o procedimento de matrícula adotado na Franklin de Carvalho e na Paulo Barbosa, por exemplo, é o mesmo aplicado, com sucesso, nas demais instituições de ensino.

5) Nesta sexta-feira, dia 12, o secretário municipal de Educação, Geraldo Oliveira, reuniu-se com os pais no auditório da Franklin de Carvalho e ofereceu para que eles aguardem dentro da escola, e não na rua. A direção da escola e os pais estão discutindo a melhor opção, desde que garantida a integridade do patrimônio público.

6) Por fim, embora discorde, a Secretaria de Educação respeita a autonomia dos pais que desejarem aguardar na fila. E volta a assegurar: nenhum aluno ficará sem vaga na rede municipal. Toda a equipe continuará trabalhando para manter a excelência comprovada da rede municipal de ensino.?

De acordo com informações oficiais, o assunto já está sendo debatido pelo secretário e demais profissionais da Educação para que em 2015 o problema não se repita.

Comentários