O secretário de Desenvolvimento Econômico e Parcerias, Paulo César Rodrigues da Costa (Paulinho da Fidalga), acompanhado do secretário adjunto de Gabinete, Fernando Porto, esteve na Câmara Municipal na tarde desta sexta-feira (30), quando explicou ao vereador Eugênio Vilela/PV sobre a paralisação da fábrica de gelo em Formiga, situada no bairro São Luís.
O vereador Eugênio Vilela solicitou a presença do secretário, uma vez que queria esclarecimentos para que ele e Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginaldo/PCdoB) emitam pareceres para a aprovação de um projeto que tramita na Câmara referente à fábrica de gelo. O referido projeto foi encaminhado ao Legislativo no dia 8 de março deste ano para ser apreciado pelos edis.
Na reunião do Legislativo de segunda-feira da semana passada (19), o presidente da Associação Regional de Pescadores e Aquicultores (Arpa), Ettore Dehon Natale, fez uso da ?Tribuna do Povo? e questionou sobre o repasse do governo federal de mais de R$ 100 mil para a construção da fábrica de gelo, que está paralisada. O local foi invadido pelo mato e foi alvo de furtos.
Ettore Dehon pediu aos vereadores para que ajudassem a associação a resolver o problema. Ele contou que a criação da associação dos pescadores foi uma sugestão do prefeito Aluísio Veloso/PT, pois havia uma verba para essa finalidade. ?O pessoal da Prefeitura foi quem nos procurou para não perder a verba?, explicou o presidente.
O secretário Paulo César agora é o responsável pela extinta Secretaria de Desenvolvimento Rural e Sustentável e explicou ao vereador Eugênio Vilela que a Prefeitura tem um prazo até o dia 23 de junho para a conclusão da obra. ?Já foram gastos cerca de R$ 100 mil. O restante foi depositado em uma conta e, com os rendimentos, o valor até o dia 31 de março era de R$ 79.225. Dentre uns 20 dias vamos fazer a licitação e assim concluir a obra?.
Paulo César mostrou toda a documentação para Eugênio Vilela e os dois Boletins de Ocorrência de furtos que ocorreram no local. Em um os furtos foram levadas duas telhas de amianto e no outro o motor do equipamento, estimado em R$ 2 mil. ?Foi falado que pessoas do Ministério da Pesca procuraram saber como estava a fábrica de gelo e foi respondido a eles que estava funcionando às mil maravilhas. Não entendo como surge esse tipo de informação. Também ?caiu a ficha? para o pessoal do Ministério da Pesca, pois não tem como fazer uma fábrica de gelo sem um poço artesiano. No local, será feito calçamento, um depósito e o poço artesiano. É importante também que criemos um grupo gestor ?, explicou Paulinho.
Após as explicações, o vereador Eugênio Vilela disse que estava tudo correto e que se dependesse dele, na próxima segunda-feira (3), o projeto já poderia ser aprovado. ?É importante essa conversa, pois não posso abrir mão do meu dever constitucional que é fiscalizar. Quando houver indagação, é preciso sentar e conversar?, justificou.
O secretário ressaltou: ?podem me procurar e pedir orientação sobre o assunto. Muitas vezes, há um mal entendido sobre determinados assuntos?, finalizou.

Comentários
COMPATILHAR: