Os fãs brasileiros do cantor Justin Bieber já estão em contagem regressiva para a chegada do astro para algumas apresentações confirmadas para o início de setembro no país. Apesar da grande expectativa, a saúde do cantor é motivo de preocupação.

No mês de junho, Bieber anunciou que foi diagnosticado com a síndrome de Ramsay Hunt, que é uma manifestação de herpes zóster afetando o nervo facial. A doença resultou no cancelamento de diversos shows e deixou o rosto do cantor parcialmente paralisado.

No Brasil, o número de casos de herpes zóster aumentou 35% durante a pandemia, segundo uma pesquisa da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Apesar de comum, nem todo mundo conhece essa doença que afeta pessoas de todas as idades. Por isso reunimos algumas informações importantes para seu conhecimento:

1 – Começa com a Catapora
A doença herpes zóster resulta da reativação do varicella zoster, o vírus da catapora. Segundo Carlos Alberto Aita, médico patologista clínico e responsável técnico do DB Diagnóstico, quem já teve catapora, independentemente da idade, pode desenvolver o herpes zóster portanto é importante estar atento aos sintomas que são dor de cabeça, pequenas bolhas e vermelhidão na pele, febre e coceira.

2 – Vírus “primo” da varíola dos macacos
O varicella zóster é um vírus “primo” do monkeypox, que causa a varíola dos macacos. Por isso, os sintomas podem ser bem parecidos. “É fundamental que o diagnóstico seja feito por meio de exame laboratorial indicado por um médico, e não por conta própria”, ressalta Aita.

3 – Estresse pode ativar o vírus
Médicos e pesquisadores não sabem dizer com precisão o que faz o vírus varicela se tornar ativo novamente e causar o herpes zóster. O que se sabe é que às vezes acontece quando medicamentos e outras doenças enfraquecem o sistema imunológico. Além disso, o fator estresse também tem sido relacionado a ocorrências.

4 – Cuidado maior com olhos e ouvidos
Em sua forma mais grave o herpes zóster pode afetar um nervo na face e causar paralisação como aconteceu com o cantor Justin Bieber. Mas a infecção também pode causar dor e formação de bolhas ao redor do olho afetando a visão. Se o ouvido for afetado, pode haver dor e dificuldade auditiva. “Por isso, é importante o acompanhamento de um oftalmologista ou otorrinolaringologista para saber se o herpes zóster está próximo ao olho ou ao ouvido”, explica o especialista.

5 – Risco 50+
Apesar de o herpes zóster acometer pessoas de todas as idades, quem tem mais de 50 anos está mais propenso à reativação do vírus uma vez que a imunidade conforme envelhecemos tende a cair.

6 – Vacina para prevenir
Há vacina para prevenção do herpes zóster. O imunizante pode ser encontrado em redes privadas de saúde (ainda não está disponível na rede de saúde pública). De dose única, a vacina deve ser tomada mesmo por quem já apresentou a doença. No entanto, quem já teve herpes zóster precisa aguardar no mínimo um ano entre o quadro agudo e a aplicação da vacina.

Para finalizar, o doutor Carlos Alberto Aita lembra sobre a importância de sempre buscar fontes confiáveis de informação e, em caso de sintomas, procurar auxílio médico que ajuda no diagnóstico precoce e mais preciso.

Sobre o Diagnósticos do Brasil

Fundado em 2011, o DB Diagnósticos é o único laboratório exclusivamente de apoio no mercado brasileiro. O DB conta com três unidades especializadas (DB Toxicológico, o DB Molecular e o DB Patologia) e três unidades de análises clínicas descentralizadas (São José dos Pinhais, Recife e Sorocaba), além das unidades regionais de apoio (URAs) distribuídas por todo o Brasil. Ao longo dos 10 anos de atuação, se tornou líder no mercado de apoio laboratorial, levando exames de alta complexidade para regiões mais distantes e democratizando o acesso à saúde.

 

Comentários
COMPATILHAR: