O jornal inglês Financial Times apontou nesta terça-feira quatro nomes considerados ?de grande influência? no cenário político nacional que podem liderar a próxima corrida presidencial, em 2010: José Serra (PSDB), Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Ciro Gomes (PSB). No caderno especial dedicado ao Brasil, divulgado hoje, a publicação traz um pequeno perfil de cada um deles. José Serra, o principal candidato do partido de oposição PSDB, é o mais não-brasileiro dos políticos, afirma o FT. Conforme o jornal, enquanto os brasileiros são reconhecidos por sua cordialidade, Serra é uma figura intelectualmente intensa e abrasiva, obcecada pelos detalhes do dia-a-dia da política.
Até velhos amigos da comunidade exilada durante o período militar avaliam que o trato com ele é duro, apesar de ninguém duvidar do seu grande talento, diz o FT. O jornal aponta que Serra é conhecido como desenvolvimentista, informa que o atual governador de São Paulo teve papel importante durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Como ministro da Saúde, arquitetou um bem sucedido programa de combate à Aids e confrontou a indústria farmacêutica no caso dos medicamentos genéricos, segundo o jornal.
Sobre Aécio Neves, o FT lembra que ele estreou na política como secretário do seu avô, Tancredo Neves, um líder democrático que teve papel relevante no final da ditadura militar. Ele é apresentado como o governador popular de Minas Gerais e pioneiro em desenvolver parcerias com o setor privado para o setor de infra-estrutura. Ao mesmo tempo, tem sido iconoclasta ao quebrar o antagonismo que tem dividido o PSDB do Partido dos Trabalhadores, de Luiz Inácio Lula da Silva. No entanto, prossegue a publicação, é visto como individualista e recusou, por exemplo, o apoio ao seu próprio partido durante as eleições de 2006.

Base aliada
Dentro do PT, Dilma Rousseff surge como uma das principais competidoras para as próximas eleições, aponta o FT. Isso se deve principalmente à sua reputação de trabalhadora compulsiva e administração dura. No mais reduzido dos perfis, o jornal diz que a atual ministra da Casa Civil, e ex-ministra de Minas e Energia, pegou em armas 38 anos atrás na luta contra o governo militar. Ela ficou na prisão por três anos e foi torturada. Rousseff foi solta em 1973 e tem sido ativa em vários partidos de esquerda desde então?.
O quarto apresentado é Ciro Gomes. O FT lembra as diversas trocas de partidos do político, que já foi do PMDB, flertou com o PSDB e concorreu à presidência pelo PPS, antes de chegar ao PSB. Carismático, de aparência jovem e glamouroso – em parte por seu casamento com Patrícia Pillar, uma estrela de novelas – muitos o vêem como o mais provável candidato pró-Lula a sobreviver a um segundo turno contra José Serra, diz o jornal britânico. A publicação ressalva, no entanto, que Gomes também é temperamental e propenso a perder a moderação em público.

Comentários
COMPATILHAR: