Sem reajuste desde 2017 e ainda sem receber o auxílio-saúde de R$ 200 a R$ 300 – de acordo com a faixa etária – e auxílio-transporte de R$ 150, servidores da segunda instância do Judiciário em Minas Gerais iniciaram uma greve nesta terça-feira. Segundo o sindicato da categoria, 30% dos servidores aderiram ao primeiro dia do movimento.

Os servidores aproveitaram a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, na sede do Tribunal de Justiça, na manhã desta terça-feira, para fazer um protesto na porta do órgão.

Os sindicalistas ainda tentaram entregar um documento ao ministro em que pedem a mediação entre o movimento grevista e a presidência do TJ. Mas coube à secretária-geral do STF, Daiane Nogueira Lira, receber a carta.

“Este pedido se justifica ante a resistência da presidência do e. TJMG em estabelecer mesa de negociação com o sindicato”, diz trecho do documento, assinado pelo coordenador-geral do Sindicato dos Servidores da Justiça de Segunda Instância (Sinjus), Wagner Ferreira.

De acordo com ele, a data-base da categoria, que é maio, está sendo descumprida há 10 meses. Além disso, o TJ ainda não teria feito o repasse dos auxílio saúde e transporte, conforme previsto em lei aprovada no ano passado pela Assembleia Legislativa.

“Apenas os magistrados possuem o benefício cujo valor é mais de quinze vezes superior ao definido para os servidores”, afirmou Wagner, referindo-se à verba para saúde. Juízes e desembargadores recebem o valor mensalmente, que corresponde a 10% do salário, entre R$ 3.040,44 e R$ 3.546,22.

Acordo

O ministro Dias Toffoli participou de solenidade na manhã desta terça-feira para assinatura de acordo de cooperação técnica entre o STF e o TJ. O magistrado não deu entrevistas.

Além da visita ao TJ, ele passa o dia em Belo Horizonte para uma série de reuniões com os presidentes do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Justiça Federal, Tribunal de Justiça Militar (TJM) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

De acordo com a assessoria de imprensa de Toffoli, o objetivo da viagem é promover o diálogo com os magistrados, conhecer as necessidades de cada estado e aumentar a integração do Poder Judiciário. O presidente do STF já esteve em Alagoas, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia.

 

Fonte: Estado de Minas||https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/03/19/interna_politica,1039201/servidores-do-tj-entram-em-greve-nesta-terca-feira.shtml

Comentários
COMPATILHAR: