Um terremoto de aproximadamente 3,1 graus na escala Richter foi identificado pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), por volta do meio-dia de ontem na região do Triângulo Mineiro. O epicentro estaria localizado próximo aos municípios de Uberaba e Delta. O tremor teria atingido as localidades de Nova Ponte, Santa Juliana, Conquista e Sacramento em um raio de 50 km. Moradores de Delta disseram ter ouvido um estrondo, o que motivou várias ligações para o Corpo de Bombeiros. De acordo com a funcionária pública Márcia dos Reis Souza, que trabalha no posto de saúde da cidade, o fenômeno não deixou feridos, mas amedrontou muita gente. Foi um barulho muito forte que parecia o estouro de uma bomba. Eu estava em casa com meu marido e minha filha e ficamos com muito medo, disse. Segundo Márcia, toda a mobília, panelas, vidros e paredes da casa tremeram, mas não foram registradas trincas nem outros danos na residência da família. A funcionária pública afirmou ainda que o tremor foi o assunto do dia no trabalho.
Outras pessoas ouviram o estrondo e se assustaram também porque aqui não é de acontecer isso. Todos estão com medo de que terremotos possam acontecer aqui, afirmou. Técnicos do observatório da UnB disseram ontem que não seria necessário enviar uma equipe para fazer análises na região. De acordo com o chefe do departamento sismológico da universidade, o professor George Sand, o alto custo da viagem não justificaria o deslocamento. Estamos em alerta porque a intensidade, embora baixa, pode voltar a se repetir. Como não houve nenhuma catástrofe e tampouco perdas materiais, iremos acompanhar daqui mesmo, justificou o especialista. Caso o terremoto tivesse ocorrido em área urbana, informou Sand, as conseqüências poderiam trazer trincas nas casas, objetos quebrados e um susto maior da população. Essa é a nossa maior preocupação nesses casos. Entramos em contato com a Defesa Civil de Uberaba para que faça um trabalho de informação junto à população, explicando quais as medidas que cada pessoa deve tomar em casos de terremotos mais intensos, disse o professor.
Embora seja pouco provável uma nova ocorrência do fenômeno na região, o especialista acha inoportuno fazer qualquer afirmação. Ao relembrar a tragédia de Itacarambi no Norte de Minas, atingida no ano passado, o professor George Sand preferiu esperar para analisar o comportamento sismológico na região. No ano passado tivemos um terremoto de 3,5 graus na escala Richter meses antes do evento mais forte em Itacarambi, que arrasou o povoado da região. É raro, inesperado, mas é possível, avaliou. Ontem, em Uberaba, alguns bairros da periferia sentiram os tremores de terra. O Corpo de Bombeiros afirmou que nenhuma ocorrência foi atendida em virtude do terremoto. Os moradores dos bairros Valim de Melo, Gameleira e Costa Teles foram os que mais fizeram contato com os militares. Recebemos ligações de pessoas preocupadas com familiares, dizendo que os objetos caíram dos móveis e prateleiras. Foi só susto mesmo, afirmou o sargento Salatiel Julião, do 8º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Uberaba. (Com Valquiria Lopes)

Comentários
COMPATILHAR: