O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira (25) aplicar uma multa à deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) por disseminar informações falsas ou desinformações sobre o processo eleitoral brasileiro. Desta vez, ela terá de R$ 30 mil, o máximo que pode ser cobrado pela Corte.

Ministros do TSE julgaram Zambelli por um vídeo publicado em seu canal no YouTube antes do primeiro turno das eleições do ano passado, em que diz ter notificado as autoridades para investigar um vídeo segundo o qual as urnas eletrônicas estariam sendo “manipuladas” por pessoas ligadas ao PT dentro de um sindicato do ABC Paulista.

Antes da fala da deputada, o teor do vídeo, que viralizou nas redes sociais e aplicativos de mensagens, foi negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), que disse se tratar de informação falsa.

“Encontrei notória má-fé da representada, que, após nota do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, livre e conscientemente produziu e divulgou o vídeo”, afirmou o ministro Gonçalves, relator da representação contra a deputada. Ele justificou o valor máximo da multa ante “a gravidade das infundadas acusações à lisura do processo eleitoral, sem qualquer amparo no mundo dos fatos”.

Na semana passada, o TSE decidiu multar Zambelli e outros parlamentares bolsonaristas em R$ 10 mil cada por outro caso de disseminação de fake news, dessa vez envolvendo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também durante a campanha eleitoral de 2022.

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: