A partir do dia 8 de março, brasileiros entre 20 e 29 anos, além de crianças de seis meses a dois anos, vão ser vacinados contra a gripe suína. Fora esta, existem outras vacinas que também podem ser tomadas pelos adultos na rede pública de saúde. Mesmo assim, muitas pessoas não mantêm o cartão em dia. Algumas nem sabem quais doses estão disponíveis, e de graça.
Uma cena comum na rede pública de saúde é a da mãe levando o filho para vacinar. O pai também não descuida dele, e nem da própria saúde. Mas outra cena é a de pessoas como Aldenor Ananias, que só foi tomar a vacina contra tétano por causa de um acidente de trabalho. Ao ver o cartão, a enfermeira descobriu outro descuido: vacinas atrasadas que ele teria de tomar.
A rede pública oferece gratuitamente todas as vacinas que um adulto precisa. As mais comuns são a dupla – contra tétano e difteria, e a de febre amarela. Até os 15 meses de vida, a criança recebe pelo menos 20 doses de várias vacinas. Já na fase adulta o número é bem menor. São apenas dois tipos de vacina com reforço a cada dez anos. Mas se engana quem pensa que é fácil encontrar adulto com o cartão de vacinação em dia.
Uma situação que poderia ser evitada desde a infância, com um simples gesto. ?Um dos principais cuidados é guardar o cartão de vacinação da criança, que vai servir para a vida toda?, ressalta uma coordenadora do Programa de Imunização.
Os adultos também têm à disposição na rede pública vacinas contra hepatite B e a tríplice. Já a da gripe Influenza A e pneumonia causada pelo pneumococo só estão disponíveis para idosos acima de 60 anos.

COMPATILHAR: