Alguns vereadores, acompanhados por membros da imprensa visitaram na terça-feira (29), o Aterro Sanitário Areias Brancas, em Formiga, para verificarem as reais condições de operação daquele importante equipamento público.

Se por um lado, constataram que a situação é crítica devido ao acúmulo de lixo não processado de acordo com as normas e por um longo período (isto em razão da não disponibilização de equipamentos pesados, indispensáveis para a realização da separação, compactação e cobertura do lixo ali descartado diariamente, cerca de 40 toneladas por dia); por outro lado, eles verificaram que, finalmente, a administração entendeu a necessidade de priorizar e destinar verbas para a não paralisação daqueles serviços que, e que de fato, os primeiros passos no sentido de regularizar a situação, estão sendo dados.

O trator de esteiras locado, após acordo financeiro firmado entre o município e o locador, já se encontra em pleno funcionamento. Segundo informações da engenheira responsável, Natália Pereira e do secretário Jorge Zaidan, se não houver nenhum contratempo, dentro do prazo estimado, de 90 dias, o lixo estocado deverá ser processado, simultaneamente com as toneladas que chegam diariamente.

Providências também estão sendo tomadas para que o lixo seco, que atualmente deveria ser coletado e processado integralmente pela Recifor, provavelmente, venha a ser terceirizado, buscando-se assim, maior eficiência na coleta e no seu processamento, vital para o alongamento da vida útil do aterro.

Os vereadores também visitaram a Estação de Tratamento dos Efluentes (chorume) e durante a visita, que durou quase duas horas, tiveram seus questionamentos e dúvidas respondidos pelos anfitriões (o secretário Zaidan e a engenheira Natália). Ambos foram unânimes em afirmar que se não faltarem recursos, (vontade política), em breve, tudo ali terá voltado à normalidade.

Zaidan informou aos vereadores que, por diversas vezes, cobrou do ex-secretário de Fazenda (Toinzinho Alvarenga) a liberação de recursos que impedissem a situação que agora, infelizmente, se tornou realidade uma vez que naquelas oportunidades, Zaidan não logrou êxito quanto ao atendimento de suas reivindicações.

“Agora, com o leite já derramado, tenho o compromisso do prefeito de que este problema é prioridade e não nos faltará apoio financeiro. Encaro isto como uma missão e acredito que em breve, todos nós sentiremos orgulho em termos aqui, de novo, um aterro modelo”, disse o secretário.

A prestação de serviços de terceiros, mais notadamente os de topografia e de análises laboratoriais realizadas por prestadores de serviços mensalmente, apesar de serem indispensáveis para o controle e monitoramento das operações ali realizadas, no momento, estão todas suspensas em razão do atraso de pagamentos.

Os vereadores, cientes da gravidade do problema, prometeram trabalhar no sentido de viabilizarem recursos para a imediata solução de mais este problema que, como visto, atinge cifra de pouca monta, por eles considerados até como irrisória. “É pouca grana para causar tanto transtorno e colocar em risco uma obra como esta”, comentou um deles.

Quanto aos equipamentos indispensáveis para a execução dos serviços, agora que o trabalho terá que ser redobrado até que as coisas entrem no eixo, o secretário garantiu que tudo está equacionado; “a Secretaria de Obras disponibilizou caminhões, máquinas e pessoal e o trator de esteiras de propriedade do município, já está na oficina e dentro de poucos dias será liberado para a frente de serviços”, disse.

Estiveram presentes no aterro os vereadores Arnaldo Gontijo, Pastor Manoel Messias, Mauro César Alves de Sousa e Rosimeire Mendonça (Meirinha), além de funcionários da Câmara, assessores e jornalistas.

 

Aterro Sanitário 2

 

 

 

 

Redação do Jornal Nova Imprensa

COMPATILHAR: