A enquete realizada pelo portal Últimas Notícias que foi ao ar na terça-feira (23), às 17h e que na quinta-feira (25) às 18h, apresentava a seguinte formulação:
O vice-prefeito, Eduardo Brás, já elaborou e divulgou o veto contra o projeto de nepotismo, afirmando que existem opiniões de juristas atestando a inconstitucionalidade do mesmo. Na sua opinião, o prefeito deve:
Sancionar a lei, pois nem tudo que é legal é moral e a opinião dos vereadores reflete a opinião pública. Com 1043 votos, 86%.
Vetar, pois a lei facilmente seria derrubada judicialmente, conforme afirma Eduardo Brás. Com 163 votos, 14%.
NR – O programa não aceita duplicidade de votos, pois registra cada um deles, através do IP do computador utilizado pelo internauta, portanto com confiabilidade = 100%. Esclarecemos ainda que o número de votantes registrado até este momento é maior que o dobro do número de eleitores, normalmente consultados em pesquisas oficiais levadas a efeito em cidades de índice populacional equivalente ao de Formiga.
Sobre o veto
Eduardo Brás, por antecipação, já vetou e até divulgou para a imprensa as razões legais que o levaram a tomar esta posição.
Já o prefeito Moacir Ribeiro, ao que se sabe, ainda não decidiu o que fazer. Ele conhece bem a opinião do povo a respeito e, certamente, respeita a aprovação unânime do projeto por seus ?colegas do Legislativo?, a quem ele, não faz muito tempo, em inflamado discurso prometeu atender, sempre que o interesse da população estivesse em jogo.
Na verdade, o que se sabe é que lá no palácio, havia uma ala pró-sanção e outra bem mais reduzida, a favor do veto. Mas, como em política as coisas se modificam muito rapidamente, como que num passe de mágica, ventos soprados lá das bandas de outro palácio, não se sabe bem se do conhecido como da Liberdade (?) ou do chamado Palácio dos Despachos, a coisa mudou de figura.
De real mesmo, anotem aí, vai valer a decisão judicial que advirá tão logo se julgue a competente ação judicial que garantirá ou não, neste município, a perpetuação de uma prática que, todo mundo sabe, é abominada pela sociedade, aqui representada por eleitores esclarecidos ou não.
Portanto, pouco importa se o prefeito vete ou sancione a tal lei, já que os interesses pessoais ? de uns poucos ? falarão mais alto e, não tenham dúvida, os cofres públicos mais uma vez bancarão as custas de todo o trâmite judicial necessário para dirimir a ?cruel? dúvida que não tem dado sossego às partes envolvidas, direta ou indiretamente.
Para ajudar as nossas autoridades constituídas a melhor entenderem a posição do nosso povo com relação a este assunto, disponibilizamos há pouco mais de 48 horas, no portal Últimas Notícias, uma enquete a respeito. O resultado, para melhor compreensão de todos, é apresentado, coincidentemente, no formato de pizza. Mera coincidência, frisamos.

Comentários
COMPATILHAR: