Ramon Basilio Chaves, foi condenado a 28 anos de prisão pela morte da ex-companheira, Alice Moreira Santos, em fevereiro de 2022. O julgamento aconteceu nesta terça-feira (1º) no Fórum Lafayette, no Barro Preto, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Durante a audiência, Ramon assumiu a autoria do crime e alegou que “não tinha sossego desde que começou a se relacionar com a vítima, que ela sempre criava problemas para ele”. Ele não teria gostado de algumas publicações de Alice, feitas na véspera do crime em um baile funk e, por isso, decidiu matá-la.

Ramon foi condenado a 28 anos de prisão por feminicídio, com o agravante do crime ter sido cometido na frente da filha da vítima.

 

Relembre o caso

O crime aconteceu no dia 12 de fevereiro de 2022 no bairro Alto Vera Cruz, Região Leste de Belo Horizonte. Segundo as investigações, a vítima foi morta no momento em que estava indo para a Delegacia denunciar o ex. Ela estava acompanhada de uma amiga e da filha, de apenas oito anos, (de outro relacionamento) quando foi abordada. Ele disparou quatro vezes e ela morreu no local.

O casal ficou junto por quatro anos e tiveram uma filha que, atualmente, possui 4 anos. O suspeito não aceitava o fim do relacionamento.

Na denúncia, a acusação alegou que Ramon “utilizou de recurso que dificultou a defesa da vítima, porque foi ela colhida de surpresa, quando se encontrava desprevenida em ponto de ônibus, em plena via pública, quando foi alvejada pelos disparos efetuados pelo primeiro denunciado.

O suspeito foi preso quatro meses após o crime, em junho de 2022, após uma operação da Polícia Civil. Ele estava escondido no bairro Justinópolis, em Ribeirão das Neves, na Grande BH.

 

Fonte: Estado de Minas

 

COMPATILHAR: