A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou nessa terça-feira (26) um Projeto de Lei que determina que o Estado divulgue na internet relação de pessoas ou empresas que tenham sido autuadas por exploração de trabalho em condições análogas à escravidão em Minas Gerais.

O projeto, de autoria do deputado Betão (PT), foi aprovado por unanimidade pela ALMG. A publicação deve reproduzir o Cadastro de Empregado, mais conhecido como “Ficha Suja” divulgado pelo Ministério da Economia.

Na justificativa, o parlamentar argumenta que Minas Gerais lidera nos últimos dez anos o resgate a pessoas em situação análoga a escravidão. Dados do Ministério do Trabalho apontam que 1.070 pessoas foram resgatadas apenas em 2022.

Em 2013, primeiro ano em que Minas Gerais passou a liderar esse ranking, 1.132 pessoas foram resgatadas de condições análogas à escravidão.

 

Fonte: Estado de Minas

 

COMPATILHAR: