Advogada do atacante Hulk, do Atlético, Marisa Alija foi às redes sociais nesta terça-feira (18) e disse que cobrará “medidas e punições cabíveis” à arbitragem da partida contra o Palmeiras no caso envolvendo a expulsão do jogador. A partida ocorreu nessa segunda-feira (17), na Arena MRV, em Belo Horizonte.

Hulk foi expulso por reclamação pelo árbitro Rodrigo José Pereira de Lima (Fifa-PE) ao receber dois cartões amarelos seguidos aos 30 minutos do primeiro tempo. O Palmeiras vencia por 1 a 0 no momento da exclusão e goleou o Galo por 4 a 0, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.

“Pelo bem e sobrevivência do futebol brasileiro: isso não pode e não vai ficar por isso mesmo! Vamos cobrar que as autoridades competentes tomem as medidas e punições cabíveis!!!”, escreveu Marisa Alija, em publicação no Instagram.

A Itatiaia entrou em contato com Marisa, que deu mais detalhes. Segundo a advogada desportiva, as medidas estão sendo levantadas e serão tomadas em conjunto com o Atlético.

“Todas as medidas que a gente vai tomar vão ser atreladas ao Atlético. Estamos analisando tudo, pedindo as imagens, tudo junto ao Atlético e vamos analisar em conjunto”, iniciou, à reportagem.

A advogada também disse que fará aquilo que “for possível fazer” sobre o caso, que gerou revolta por parte dos atleticanos. “A gente vai tomar as medidas junto com o Atlético, e a gente vai ver. Tudo que for possível fazer, a gente vai fazer”, disse.

“A gente está preliminarmente levantando tudo, e a gente vai se posicionar em conjunto. A gente ainda não se posicionou, porque a gente ainda está vendo tudo que vai ser feito para depois levar para vocês”, concluiu.

Diretor de futebol do Atlético, Victor Bagy afirmou logo após a partida que o clube também fará uma reclamação formal na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por conta da expulsão. Além disso, o Galo pedirá o afastamento de Rodrigo José Pereira de Lima dos jogos do Alvinegro.

“Vamos, com certeza, formalizar a insatisfação pedindo, exigindo explicações de tudo que aconteceu hoje. Provavelmente também vetar porque a reincidência é preocupante. Tudo que a gente faz é de forma protocolar. Vão tirar o árbitro duas, três rodadas… vai apitar Série B, Série C, daqui duas, três rodadas está de volta”, disse Victor.

O dirigente atleticano também afirmou que a união dos clubes é necessária para que os problemas recorrentes com a arbitragem aconteçam com menor frequência. Ele falou sobre a possibilidade de profissionalização dos árbitros do Brasil.

“Enquanto não alinharmos o discurso ou não caminharmos para a profissionalização da arbitragem, vamos viver isso cada vez mais. Para gente tentar melhorar a credibilidade, não sei se vai resolver, mas melhorar a credibilidade, enquanto não houver um discurso de profissionalização de arbitragem, assim como é o treinador, o atleta, o diretor”, disse

“Enquanto não houver uma profissionalização, os caras viverem exclusivamente de futebol, a gente infelizmente vai, a cada rodada, estar aqui falando de arbitragem. Se não o Galo, outras equipes, é chover no molhado. É uma questão de profissionalismo e credibilidade. Tem uma punição de forma protocolar, para o público ver, mas que não resolve, é uma solução paliativa. Temos que buscar as melhores soluções, os clubes, e eu me incluo, me coloco à disposição para colaborar quanto a isso”, concluiu.

 

O que diz o árbitro

Na súmula, o árbitro Rodrigo José Pereira de Lima abordou os dois cartões amarelos aplicados para o camisa 7 do Galo. De acordo com o documento oficial do jogo, divulgado pela CBF, o árbitro relatou na súmula que, aos 31 minutos do primeiro tempo, Hulk recebeu o primeiro cartão amarelo após dizer “apita logo, c******” depois de uma marcação de falta a favor do Atlético.

Já com relação ao segundo amarelo e, consequentemente, o cartão vermelho, Rodrigo José Pereira de Lima relatou que o camisa 7 do Galo o questionou sobre o motivo do cartão e que Hulk ainda o “empurrou com o dedo indicador de forma ofensiva”.

“Aos 31 minutos do primeiro tempo, expulsei do campo de jogo com a aplicação do segundo cartão amarelo o sr. Givanildo Vieira Souza, n° 07 da equipe do Atlético Mineiro Saf, após receber cartão amarelo por reclamação, o mesmo partiu em minha direção de maneira acintosa, ficando face a face comigo e gritando de forma desrespeitosa as seguintes palavras: ‘Me diz o porquê do cartão, me diz o porquê’. Após ter sido expulso, o mesmo empurra meu rosto com o dedo indicador de forma ofensiva e se negando a sair do campo de jogo. Quando o jogador decidiu deixar o campo proferiu a seguinte frase em direção ao árbitro: ‘Filho da p***’ com isso a partida ficou paralisada por 03 minutos”.

Ao deixar o campo de jogo, Hulk se dirigiu a uma das câmeras posicionadas no campo e questionou a decisão da arbitragem.

“Você está gravando? Pergunta por que eu tomei o primeiro amarelo e ele me deu o segundo. Já é a segunda vez que ele me expulsa. Eu coloquei a mão para trás e perguntei por que ele me deu amarelo. Agora, pode pegar câmeras, áudio, tudo. Isso é demais. Isso é impossível”, gritou.

 

Próximo jogo

O Atlético voltará a campo às 18h30 de quinta-feira (20). O Galo enfrentará o Vitória, no Barradão, em Salvador, pela décima rodada do Brasileirão.

 

Fonte: Itatiaia

 

COMPATILHAR: