A pandemia causada pelo Covid-19 fez com que o número de famílias em situação de vulnerabilidade social aumentasse bastante, aumentando também a demanda por alimentos e produtos de primeira necessidade. A Administração Municipal, por meio do trabalho realizado pelo Banco Municipal de Alimentos (BMA), tem conseguido ajudar essas famílias, com a doação de gêneros alimentícios e também roupas, produtos de higiene e limpeza.

Com o apoio de um número cada vez maior de parceiros doadores, o equipamento fechou o mês de agosto com 300.949 quilos de alimentos doados. Os alimentos foram captados através de doações de parceiros (produtores, comerciantes, indústrias, entidades, Bancos de Alimentos da Rede Metropolitana de Bancos de Alimentos (REBA-RMBH, Mesa Brasil Sesc), da colheita de unidades do Projeto Horta Urbana, do Projeto Feira Solidária, de inúmeros parceiros da sociedade civil e também adquiridos da agricultura familiar através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Receberam doações do BMA: mais de 2500 famílias referenciadas nos CRAS do município e mais de 50 entidades, associações de bairros e equipamentos públicos do município e de várias cidades da região como Arcos, Campo Belo, Candeias, Córrego Fundo, Guapé, Ibiá, Luz, Passos, Pitangui, Santo Antônio do Monte e Passos, além dos Bancos de Alimentos de Belo Horizonte, Brumadinho, Divinópolis, Guaranésia, Itaúna, Lavras, Nova Serrana, Pompéu e Mesa Brasil Sesc.

Nas 14 unidades do Projeto Horta Urbana foram colhidas mais de 4 toneladas de hortaliças produzidas sem o uso de agrotóxicos e com uso racional da água. O Projeto que é desenvolvido pelo BMA em parceria com o UNIFOR-MG e a Carmeuse Brasil, conta também com o apoio da Emater-MG, da Gecal Agronegócios e principalmente das comunidades envolvidas na condução das hortas.

Fonte: Decom

Comentários