Mais de mil câmeras foram entregues pelo Governo de Minas à Polícia Militar de Minas Gerais, nesta quinta-feira (24), para adoção de uniformes de agentes durante exercício da função. A implementação do equipamento vai ocorrer até o final da primeira semana de dezembro.

Os equipamentos foram entregues durante solenidade na 2ª edição da Feira de Inovação Tecnológica (INOVE 2022), na região Oeste de Belo Horizonte. O evento contou com a presença do secretário-geral do Estado e vice-governador eleito, Matheus Simões.

“Serão mais de 4 mil policiais militares que estarão nas ruas a partir dos próximos dias, portanto as ‘body cams’. Elas são coladas ao colete, que vão acompanhar em tempo integral a ação policial, facilitando a apuração dos crimes, porque aquilo que o policial viu estará registrado para que possa ser utilizado nos processos criminais”, disse.

As Câmeras Operacionais Portáteis (COP) têm o objetivo de facilitar as investigações de abordagens policiais e reduzir a letalidade da polícia durante suas ações. Além disso, para Simões, os equipamentos são seguros e blindados de manipulações.

“Ela não permite interrupção de filmagem, ela não permite manipulação ou baixar fora do próprio sistema. Então, a gente está falando de um sistema à prova de manipulação, a fraude, que vai garantir mais segurança para o agente policial porque as acusações que muitas vezes são absolutamente distorcidas sobre possíveis abusos vão estar documentadas e vão nos ajudar na apuração de crimes efetivamente”.

Sobre o uso das imagens, o vice de Zema explicou que elas serão disponibilizadas para as polícias e à Justiça, sem permissão de uso público.

“[Os equipamentos] podem ser usados pela polícia ou pela Justiça. Poderão ser requisitadas também por outros órgãos de segurança, mas não podem ser franqueadas ao público porque elas poderiam comprometer, inclusive, as ações de segurança que são estruturadas, por exemplo, em processos de investigação, colocando em risco até o resultado efetivo de grandes operações”, explicou.

Simões garantiu o uso das imagens em processos judiciais. “Então, o uso dela é um uso controlado, não é para qualquer pessoa, mas qualquer juiz, qualquer promotor vai poder ter acesso a elas e, obviamente, as outras forças de segurança vão poder discutir o uso das imagens e nada impede que a gente faça convênios ao longo do tempo para usos ampliados”, disse.

Investimento

Segundo o comandante da PMMG, coronel Rodrigo Sousa Rodrigues, neste primeiro momento, em um teste piloto, serão 1.040 câmeras e 4 mil militares usarão em diferentes turnos, em todas as regiões de Minas Gerais. Atualmente, 500 policiais foram treinados para usar as câmeras e replicar o conhecimento para colegas.

Ao todo, cerca de R$ 2,4 milhões foram investidos para a compra das câmeras. Desse montante, R$ 1,8 milhões foram depositados pelo governo de Minas, enquanto o restante advém de verbas do Ministério Público. A expectativa é que novas inserções sejam feitas para a compra de novas câmeras, além de pistolas de emissão de impulso elétrico, podendo chegar os recursos a R$ 4 milhões.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: