A Polícia Civil vai realizar nesta segunda-feira (14) uma coletiva de imprensa para falar sobre uma operação que resultou na apreensão de cerca de 200 toneladas de sabão em pó falsificado.

Além do produto, foram apreendidos 2 caminhões, várias caixas, 6 carretas, 3 empilhadeiras, 3 betoneiras e 3 esteiras de produção.

A ação ocorreu em Itaúna, Divinópolis e São Gonçalo do Pará, sendo que nesta última cidade o sabão era encaixotado em uma embalagem usando o nome da marca Omo. Veja o que diz a fabricante do produto.

Ação

A Polícia Civil informou que primeiramente localizou em Divinópolis 6 carretas com aproximadamente 180 toneladas do sabão em pó. Conforme a ocorrência, elas saíram da cidade de Teixeira de Freitas (BA) e tinham como destino final a cidade de São Gonçalo do Pará.

Depois, em um galpão o sabão, descobriram que o produto era encaixotado em uma embalagem com marca famosa. No local foram apreendidas várias caixas.

“Durante as diligências conseguimos aprender seis carretas em Divinópolis que estavam descarregando o produto. Conseguimos identificar que a origem do sabão é da cidade de Teixeira de Freiras, na Bahia. O material era comprado por cerca de R$ 1,35 o quilo e cada carreta continha cerca de 30 toneladas. O material era armazenado e posteriormente distribuído para outros galpões na cidade de São Gonçalo, para então, fazerem o envasamento nas caixas de um sabão conhecido no mercado, com um valor alto de revenda. Eles então, conseguiram elevar o valor em mais de 10 vezes do que investiam”, explicou o inspetor da Polícia Civil, André Leite.

Quando a polícia chegou ao galpão, um grupo de pessoas que trabalhava no local fugiu deixando para trás máquinas ligadas. Mas uma pessoa suspeita de ser responsável pela empresa, de idade não informada, foi detida e conduzida para a delegacia para prestar esclarecimentos.

Outras apreensões

Essa não foi a primeira vez que a polícia fez este tipo de apreensão no Centro-Oeste de Minas. Em 2021, 2 apreensões foram realizadas em Nova Serrana. Sendo a primeira em junho com 50 toneladas e a segunda em 25 de agosto com mais 25 toneladas.

OMO

Em nota, a Omo disse que acompanha de perto as investigações de todos os casos de falsificação dos quais é vítima, cooperando com as autoridades policiais sempre que solicitada. Neste caso, não está sendo diferente.

A empresa informou que existem sinais que podem ajudar o consumidor a identificar casos suspeitos de falsificação de produtos, como:

  • A qualidade de cor, brilho e impressão das embalagens, que deve sempre trazer as informações de forma legível;
  • A data de fabricação deve estar gravada a laser de forma destacada e não como parte dos textos da embalagem;
  • Cada embalagem possui um número único de lote impresso, que não pode se repetir em outras embalagens;
  • Alterações na cor, textura e perfume do produto em comparação ao que consumidor está acostumado a usar;

O consumidor pode relatar os casos suspeitos para análise e orientação entrando em contato com nosso SAC pelo site ou no telefone 0800-707-9977.

Fonte: G1

Comentários
COMPATILHAR: