A abertura dos trabalhos no Congresso Nacional teve início às 16h, com o discurso da presidente Dilma, Rousseff. Em seguida, serão lidas as mensagens dos presidentes do STF, Cezar Peluso, e do TSE, Ricardo Lewandowski. Depois falarão os presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), eleito na noite de ontem, e do Senado, José Sarney (PMDB-AP).
A cerimônia foi aberta com uma salva de 21 tiros de canhão e a revista das tropas, diante do Congresso, pelo presidente do Senado, José Sarney. Em seguida, Sarney e o presidente da Câmara, Marco Maia, receberam a presidente Dilma, que chegou ao Congresso acompanhada dos ministros Antônio Palocci, da Casa Civil, e Luiz Sérgio, das Relações Institucionais.
Dilma foi saudada por parlamentares, convidados e servidores por todo o caminho até o Plenário, onde realiza a leitura da mensagem. Com a presença de Dilma Rousseff na Mesa, José Sarney abriu a sessão que dá início à 54ª Legislatura, com a execução do Hino Nacional.
A presidente da República se disse honrada em encaminhar pela primeira vez sua mensagem ao Congresso, o que reafirma seu compromisso com o respeito aos demais poderes da República. Ela ressalta o longo período de democracia e prosperidade vivido pelo Brasil. ?Nosso governo e todas as instituições têm a responsabilidade de ampliar e aprofundar a democracia, começando com aquela que é mais básica: erradicar a pobreza extrema no Brasil? , declarou.
Dilma Rousseff reafirmou, na mensagem dirigida ao Parlamento, seu compromisso com a estabilidade econômica e com uma política de valorização do salário mínimo. ?Não permitiremos que a inflação volte a corroer nosso tecido econômico e a penalizar os mais pobres? – afirmou Dilma, prometendo rigor fiscal.
A valorização do salário mínimo, explicou, se dará por meio de uma política de longo prazo. ? A manutenção de regras estáveis que permitam ao salário mínimo recuperar seu poder de compra é um pacto do governo com os trabalhadores. Encaminharei ao Congresso Nacional uma proposta de política de longo prazo de valorização do salário mínimo? – garantiu.

Posse no Senado
Os 54 senadores eleitos em outubro de 2010 para um mandato de oito anos, que termina em 31 de janeiro de 2019, tomaram posse nesta terça-feira (1º). Desses, 17 já eram senadores e foram reeleitos.
Outros 27 senadores, eleitos em 2006 para um mandato que termina em 2015, compõem o quadro do Senado. A Casa tem 81 parlamentares, ou seja, três para cada uma das 27 unidades da federação. Já na Câmara, onde todos os mandatos são renovados a cada quatro anos, tomaram posse – entre eleitos e reeleitos – 513 deputados federais.

Comentários
COMPATILHAR: