Aconteceu nessa terça-feira (30), na EMART, a última reunião ordinária do Conselho Municipal de Cultura de Formiga, COMCULT, no ano de 2021. Na oportunidade, foi realizada a eleição para a presidência do Conselho, e o escolhido para o cargo foi o Conselheiro Brás da Costa Guimarães Júnior.

O procedimento foi em atendimento à nova Legislação Municipal que trouxe a obrigatoriedade da escolha do presidente do Conselho, por meio de votação entre os membros titulares. Brás foi eleito com a totalidade dos votos dos conselheiros que estavam presentes à reunião. O novo presidente agradeceu a confiança de seus pares, e disse que “é uma honra indescritível fazer parte deste grupo tão sólido e coeso” Brás acrescentou, ainda, que “juntos iremos forjar nossa cultura nesta época histórica”.

Uma das principais missões do novo presidente será participar da programação para o estabelecimento de uma a Conferência Municipal de Cultura, em Formiga, que terá como principal objetivo, traçar os rumos para a elaboração do “Plano Municipal de Cultura” do Município.

COMCULT

O Conselho Municipal de Cultura de Formiga foi criado por meio da Lei nº 5.610, de 28 de abril de 2021 e é parte integrante do “Sistema Municipal de Cultura no âmbito do Município de Formiga”, criado pela mesma Lei. Trata-se de um órgão paritário, com representantes do Poder Público (Executivo e Legislativo) e da Sociedade Civil dos seguintes setores culturais: Artes Cênicas (teatro, dança, capoeira e congêneres); Artes Visuais (artes plásticas, artesanato, fotografia, artes gráficas e congêneres); Música; Literatura; e das Associações de Congado ou Folia.

Brás da Costa Guimarães Júnior

Formiguense, tem 32 anos e é professor particular de língua inglesa. BI em Humanidades pela Universidade Federal dos vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM (2016-2021) na cidade de Diamantina-MG. Tem experiência com ensino e língua e literatura inglesa, destacou-se nos últimos anos em congressos nacionais de políticas públicas e literatura marginal apresentando o RAP de Formiga. Participou da implementação do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e indígenas NEABI Chica da Silva/UFVJM; do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão sobre Diáspora Africana NUPED/UFVJM.

Fonte: Decom

Comentários