A Polícia Civil do Rio de Janeiro encontrou, nesta terça-feira (28), o corpo de Sophia Ângelo Veloso da Silva, de 11 anos, dentro de uma lixeira na comunidade Guarabu, na Ilha do Governador, Zona Norte da capital fluminense. A menina não era vista desde às 7h dessa segunda-feira (27), quando saiu de casa a pé para ir à escola no bairro Moneró, também na Ilha do Governador. As informações são do G1.

Um suspeito, que segundo os pais da criança é irmão da ex-madrasta dela, foi detido. Ele foi encaminhado a delegacia, onde foi ouvido pelos policiais. O caso é investigado na 37ª DP (Ilha).

Segundo os pais de Sophia, o desaparecimento da menina só foi notado depois das 15h. Para tentar encontrar a filha, eles refizeram o caminho da casa da família até a Escola Municipal Belmiro Medeiros, que fica a 20 minutos a pé de distância.

Em um dos caminhos que Sophia poderia ter feito, os pais encontraram um comércio equipado com câmeras de segurança. Ao verificarem as imagens, eles viram a filha acompanhada de um homem às 7h17, pouco depois dela sair de casa.

Os pais levaram as imagens para a delegacia e registraram um boletim de ocorrência. Eles afirmam que um short usado por Sophia no dia do desaparecimento teria sido encontrado na casa do suspeito.

Segundo a atual madrasta de Sophia, Thaiane Cirino de Vasconcelos, a menina era a filha do meio de três irmãos. Ela costumava ir para a escola com as amigas.

“Ela vai com as coleguinhas todo dia para a escola. E foi uma dessas amigas que contou que a Sophia estava acompanhada desse homem. Ela deu as características das roupas e passamos a procurá-la. A minha mãe viu ele também com a minha enteada. Esse cara é um conhecido da família. Ninguém espera que um parente possa fazer isso”, disse a madrasta antes de a morte da menina ser confirmada.

 

Fonte: Itatiaia/G1

 

COMPATILHAR: