O laudo que seria divulgado esta semana deve ficar pronto no final do mês que vem. De acordo com a Assessoria de Comunicação da Polícia Civil em Belo Horizonte, a corregedoria da divisão de homicídios, que investiga o caso pediu um prazo a mais de 30 dias para concluir o inquérito que apontará em quais circunstâncias ocorreu o incêndio na cadeia de Arcos, no último dia 27 de junho. Depois de uma tentativa frustrada de motim, Cláudio Ferreira, de 14 anos, Vinícius de Oliveira, de 18 e Robério Rodrigues, de 15 anos que estavam na cela atearam fogo em colchões, para reivindicar a transferência. O fogo se alastrou e as três vítimas sofreram queimaduras graves. As vítimas ficaram internadas por mais de duas semanas no Hospital João XXIII em Belo Horizonte e morreram por não resistir a várias infecções.

Comentários