Detentos da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, em Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas, deflagraram uma rebelião na manhã deste sábado (5). Os presos de uma das celas conseguiram acessar a galeria da unidade, enquanto outro grupo ateou fogo em pedaços de colchões.

Em vídeo que circula nas redes sociais, feito pelos próprios detentos da penitenciária mineira, é possível ouvir reclamações contra o sistema prisional, a retirada de benefícios e a falta de visitas.

De acordo com o Departamento Penitenciário de Minas (Depen-MG), a situação já foi controlada e nenhum custodiado teve que ser encaminhado para atendimento hospitalar externo.

O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado para apagar o princípio de incêndio. Há registro de dano estrutural em apenas uma das celas da unidade.

Visitações 
Conforme o Depen, por questões de segurança, as visitas que aconteceriam neste fim de semana foram suspensas. Ainda não há informação sobre o que causou o motim, e se possui alguma relação com a diminuição do número de visitantes desde o início da greve dos Servidores da Segurança Pública no Estado.

De acordo com o jornal Hoje em Dia, o vice-presidente do Sindicato dos Polícias Penais de Minas (Sindppen), Wladimir Dantas, afirmou que a visitação aos detentos está ocorrendo normalmente, porém, os policiais estão adotando a operação padrão, em que conferem o cadastramento dos visitantes, o distanciamento de segurança devido à pandemia da Covid-19, além do comprovante de vacinação ou teste PCR negativo para a doença, entre outros.

 “Agora, nós estamos agindo dentro da legalidade, não que antes fazíamos o incorreto, é que agora não vai ter mais o ‘jeitinho’. Se o salão onde está acontecendo a visita comportar apenas um visitante por detento, só vai entrar um visitante por detento”, afirmou Dantas. 

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: