A equipe do setor de Divisão da Igualdade Racial, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano, em parceria com a Irmandade do Congado do Rosário, vai comemorar o Dia da Abolição da Escravatura, na sexta-feira (13).
As atividades serão desenvolvidas a partir das 19h30, na Praça José Barbosa Junior, em frente ao Colégio Santa Teresinha. Uma encenação será realizada em homenagem à Princesa Isabel, responsável por assinar a Lei Áurea de libertação dos escravos. Aproximadamente 20 atores farão parte da apresentação teatral. São esperados ainda 12 ternos do congado de Formiga e um de Itapecerica.
Para o coordenador do Setor de Igualdade Racial, José Antônio Firme, ?a principal importância é resgatar a cultura no município de Formiga e também poder relembrar uma conquista do nosso povo que foi a Libertação do Cativeiro?, ressaltou.
Lei Áurea
A primeira etapa do processo de libertação dos escravos foi tomada em 1850, com a extinção do tráfico de escravos no Brasil. Vinte e um anos mais tarde, em de 28 de setembro de 1871, foi promulgada a Lei do Ventre-Livre. Esta lei tornava livres os filhos de escravos que nascessem a partir da decretação da lei.
No ano de 1885, foi promulgada a lei Saraiva-Cotegipe (também conhecida como Lei dos Sexagenários) que beneficiava os negros com mais de 65 anos de idade.
Foi somente em 13 de maio de 1888, através da Lei Áurea, que a liberdade total e definitiva finalmente foi alcançada pelos negros brasileiros. Esta lei, assinada pela Princesa Isabel (filha de D. Pedro II), abolia de vez a escravidão em nosso país.

COMPATILHAR: