Nesta semana a Biblioteca Municipal traz como indicação de leitura uma obra autobiográfica de um negro americano nascido livre que foi capturado e se tornou escravo.
Doze anos de Escravidão, do autor Solomon Northup, foi adaptado para o cinema e ganhou no ano passado o Oscar de melhor filme, o que fez do britânico Steve McQueen o primeiro cineasta negro a dirigir uma produção vencedora do principal prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.
A indicação faz parte do projeto No meio do caminho tem um livro, uma parceria entre o jornal e as bibliotecas da cidade.
Resenha
Considerada a melhor narrativa já escrita sobre um dos períodos mais nebulosos da história americana, Doze anos de Escravidão narra a história real de Solomon Northup, um negro americano nascido livre que, atraído por uma proposta de emprego, abandona a segurança do Norte e acaba sendo sequestrado e vendido como escravo.
Depois de liberto, Northup publicou o relato contundente de sua história, que se tornou um best-seller imediato. Hoje, 160 anos após a primeira edição, Doze anos de escravidão é reconhecido como uma narrativa de qualidades excepcionais. Para a crítica, o caráter especial do livro deve-se ao fato de o autor ter sido um homem culto que viveu duas vidas opostas, primeiro como cidadão livre e depois como escravo.

Comentários
COMPATILHAR: