A primeira grande expansão do Programa “A Voz da América” foi lançada há 70 anos. Ao contrário de outros países, que transmitem a partir do seu próprio território, os EUA desenvolveram centros de radiodifusão em todo o mundo.

Em 1954, Poro nas Filipinas, um transmissor de Ondas Curtas de 1.000 kW e outros sete transmissores, totalizaram uma potência de saída da referida estação de 1385 kW.

Ainda em 1954, uma estação abriu-se em Bangkok Tailândia, com 1000 kW de potência em Ondas Médias. Em seguida, uma estação transmissora em Rhodes, na Island Grécia, com uma potência em Ondas Médias de 500 kW e dois transmissores de Ondas Curtas de 50 kW.

Além deste desenvolvimento internacional, a primeira fase do projeto Greenville, na Carolina do Norte foi concluída. Este desenvolvimento foi uma novidade para a VOA porque, em vez de confiar a tarefa a empresas privadas, foram os engenheiros da VOA que realizaram todo o trabalho. Greenville, EUA, deveria ser a principal estação transmissor da VOA no continente americano.

Greenville A, foi destruído, e Greenville B, ainda está em operação; eram idênticos, no projeto e na construção. Cada um tinha nove transmissores e dois para conexões ponto a ponto.

Em cada centro, havia três unidades de 50kW fabricadas pela Gates Radio, três unidades de 250kW construídas pela General Electric e três unidades transmissoras de 500kW construídas pelo fabricante Continental Electronics.

Pouco conhecido, Greenville C, era uma estação de recepção SW, que desempenhou um papel essencial nas comunicações ponto-a-ponto: foi ela quem forneceu a grade de programas para outros transmissores através de transmissores BLU de 10 kW, até a chegada dos satélites.

Livre adaptação pessoal de Alexandre Dezem Bertozzi de diversos sítios da Internet

Imagem: Cathode Press 1965

Imagem: reprodução Internet

Imagem: reprodução Internet

Imagem: reprodução Internet

Imagem: reprodução Internet

COMPATILHAR: