As contas de energia costumam aumentar nesta época do ano, especialmente, devido à utilização do chuveiro em potência máxima e à presença das pessoas por mais tempo em casa devido ao frio. Além disso, há o fenômeno natural que faz os dias escurecerem mais rapidamente, aumentando o tempo de funcionamento da iluminação. São nuances que aliadas a outros fatores de desperdício podem contribuir para elevar o consumo de energia residencial em até 20%. Entretanto, podemos adotar soluções simples para fazer o uso correto da energia, principalmente neste período de condições hidrológicas desfavoráveis.

A primeira orientação é sempre estar atento para reduzir a potência dos equipamentos que utilizam energia elétrica na residência. Para isso, na hora da compra de um novo eletrodoméstico ou eletroeletrônico, o consumidor deve fazer a opção pelos mais eficientes, aqueles que são identificados com o Selo Procel ou com a letra A na etiqueta do Procel/Inmetro.

Para elucidar de forma simples, o consumo de energia depende praticamente da potência (W) dos equipamentos e do tempo de utilização (h), ou seja, watt-hora -Wh. Por isso, devemos utilizar equipamentos de menor potência e apenas pelo tempo necessário.

 Em razão de sua elevada potência, os chuveiros são os equipamentos que, geralmente, mais consomem energia, representando, em média, 32% do consumo de uma residência. Dessa forma, temos que ter bom senso no tempo de uso desse aparelho. Fazendo uma analogia, quando ligamos um chuveiro em potência máxima é como se ligássemos 50 geladeiras ao mesmo tempo.  

Além disso, o frio e também a chegada das férias podem contribuir para a maior presença das pessoas em casa, aumentando o tempo de utilização de televisores, computadores, iluminação, tempo de banho e também o número de vezes que a geladeira é aberta.

No caso do chuveiro, a recomendação, além de se reduzir o tempo de banho, é sempre que possível reduzir a potência do mesmo ou optar pela substituição por um sistema de aquecimento solar. Caso não seja possível adotar essa última opção, é recomendável a preferência por chuveiros que possuam maior flexibilidade, com até quatro posições diferentes de temperatura da água. Alguns chuveiros novos têm até oito posições diferentes para os níveis de aquecimento.

 Outra medida interessante no inverno é reduzir a temperatura de resfriamento da geladeira, ou seja, não há necessidade de colocar o dial de temperatura no máximo, isto faz com que o eletrodoméstico trabalhe (refrigere) por mais tempo. É comum encontrar a chave no máximo da temperatura, mesmo quando o refrigerador não está tão cheio ou mesmo quando a família viaja. Esse equipamento funciona de modo intermitente, aproximadamente, 360 horas/mês (metade do tempo de um mês) caso esteja em bom estado e sendo utilizado corretamente. Uso correto no caso de geladeira é a borracha de vedação não deixando o ar esterno entrar, é não colocar alimentos ainda quentes, aberturas de portas sem deixa-las abertas por muito tempo e com frequência moderada.

O terceiro uso de energia residencial com maior participação no consumo é a iluminação, na faixa de 20% do total. Prefira as lâmpadas de menor potência como as fluorescentes compactas e agora as de LED, tecnologia que já está ficando com o preço mais acessível.

Utilizar a energia de forma correta, ou seja, sem desperdiçar, é importante não apenas para os clientes e concessionárias, mas principalmente para a preservação do nosso planeta.  Para saber mais dicas e informações sobre eficiência energética, basta entrar no site da Cemig, clicar A Cemig e o Futuro, Sustentabilidade e, depois, Eficiência Energética.

 Leonardo Rivetti é gerente de Eficiência Energética da Cemig

 

 

Comentários