“Em time que está ganhando não se mexe”, assim se referiu o presidente Jair Bolsonaro (PL), ao citar o governador Romeu Zema (Novo), durante solenidade em comemoração ao Dia da Indústria, nessa quinta-feira (26), no Minascentro, em Belo Horizonte.

O aceno não deixa mais suspeitas sobre as preferências do presidente pela reeleição do governador Zema em Minas, a despeito de seu partido, o PL, ter como pré-candidato ao governo o senador Carlos Viana.

Bolsonaro e Zema foram as grandes estrelas do evento. Em tom de campanha, o presidente foi ovacionado pela plateia ao som de “Mito”. A mesma receptividade foi dada a Zema.

Com cerca de 2.500 empresários, industriais, autoridades e políticos de Minas e do país, o evento marcou também a posse da nova diretoria da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais). O presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, reconduzido ao cargo para o triênio 2022-2025.

No palco ainda estavam o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), e o prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman (PSD), além de diversos parlamentares.

Vários políticos e lideranças empresariais compareceram ao evento, entre eles os senadores Carlos Viana (PL) – até então o pré-candidato do partido de Bolsonaro ao governo de Minas Gerais -, e Alexandre Silveira (PSD), que compõe a chapa do ex-prefeito da capital, Alexandre Kalil, e do PT na disputa eleitoral.

No entanto, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), e o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Agostinho Patrus (PSD), foram ausências no evento.

Bolsonaro chegou à capital mineira por volta das 18h30, vindo de Coronel Fabriciano, no Vale do Aço. Ele desembarcou no Aeroporto da Pampulha, onde uma legião de apoiadores o aguardava para a realização de uma motociata. Bolsonaro, entretanto, se deslocou pela capital em veículo fechado.

Coronel Fabriciano

Em clima de campanha, o presidente, que é pré-candidato à reeleição, participou pela manhã da solenidade de entrega de 500 moradias em Fabriciano, construídas com recursos do programa Casa Verde Amarela.

Apoiador do presidente, o prefeito da cidade, Marcos Vinícius Bizarro (PSDB), decretou ponto facultativo no município. Com isso, as repartições públicas de Coronel Fabriciano ficaram sem expediente. A exceção fica por conta dos serviços de saúde, que funcionaram normalmente.

No palanque em Fabriciano, Bolsonaro esteve acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, do presidente da Caixa Federal, Pedro Guimarães, e de deputados de sua base parlamentar.

O empreendimento integra o Programa Casa Verde e Amarela, que sucedeu o Programa Minha Casa Minha Vida, e recebeu R$ 37,5 milhões em investimentos federais, por meio do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), sendo que R$ 30,1 milhões foram repassados desde 2019, o que representa 80,31% do total. O residencial conta com 25 blocos, cada um com 20 apartamentos, divididos entre térreo e quatro andares.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários