Nesta quinta-feira (5), veio à tona que o clube do Atlético Mineiro, do final de 2022 para cá, ficou em débito com funcionários, principalmente os jogadores do time profissional masculino.

A informação foi confirmada pelo O Tempo Sports. Conforme fontes ligadas ao Galo, há alguns atrasos financeiros, como de 13º salário, ocasionados, em especial, pela queda nas receitas neste período.

Nesta semana, o Atlético sofreu um duro golpe financeiro, a desistência da Multiplan de adquirir a segunda metade do DiamondMall, o que renderia ao clube pelo menos R$ 340 milhões, que seriam usados para o pagamento de dívidas onerosas. A situação ainda não teve um desfecho favorável.

Na atual administração, encabeçada pelo presidente Sérgio Coelho, que assumiu em 2021 e recebe apoio de investidores, ainda não tinha se tornado pública nenhuma falta de pagamento ao plantel. No entanto, a diretoria, junto aos mecenas, trabalham para resolver o problema nos próximos dias.

A dívida bruta alcançou 1,4 bilhão ao fim de 2022, o que fez o clube buscar soluções imediatas para a vida financeira. Além da venda de todo o Diamond, o Galo busca a transformação em empresa (SAF) para se aliviar.

Entre débitos com clubes, jogadores e agentes, uma se destaca: com o empresário André Cury, que ultrapassa R$ 60 milhões. Em dezembro, o Galo vendeu Nacho Fernández ao River Plate, livrando a instituição de uma dívida de US$ 1,2 milhão que poderia gerar um transfer ban.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: