‘O Grande Circo Místico’ será o representante do Brasil para concorrer a uma vaga na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2019. O anúncio foi feito nesta terça (11)  pela Academia Brasileira de Cinema (ABC).

A comissão nomeada pelo MinC para escolher o filme indicado pelo Brasil para concorrer a uma vaga no próximo Oscar reuniu-se na sede da Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Inscreveram-se 22 produções.

Tem sido um longo jejum brasileiro na festa da Academia de Hollywood. O último filme selecionado para concorrer foi Central do Brasil, de Walter Salles, em 1999. Em 2006, O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, foi pré-indicado na listas de nove, mas não ficou entre os cinco finalistas. A última indicação não ocorreu na categoria de filme estrangeiro, mas na de melhor animação – O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, em 2016.

Todo ano surgem as mesmas dúvidas – o que seria o concorrente ideal do Brasil no Oscar? Talvez o grande equívoco das comissões que indicam o concorrente brasileiro seja tentar pensar com a cabeça da Academia.

O Oscar de filme estrangeiro é dos que mais ousam – e surpreendem. Mesmo assim, ocorrem coisas como o caso Cidade de Deus. Ignorado no Oscar de filme estrangeiro de 2003, o longa de Fernando Meirelles cravou quatro indicações no ano seguinte, incluindo direção, roteiro, montagem e fotografia. Outras vezes em que o Brasil esteve pertinho do Oscar – em 2012, Carlinhos Brown concorreu a melhor canção, por Rio; em 2015, O Sal da Terra, codirigido por Juliano Salgado, filho do fotógrafo Sebastião Salgado – personagem principal -, foi indicado para melhor documentário.

Em 1986, William Hurt foi melhor ator por O Beijo da Mulher Aranha, coprodução dirigida (em São Paulo) por Hector Babenco. Em 2005, o uruguaio Jorge Drexler venceu o Oscar de canção por Al Otro Lado del Rio, tema do filme Diários de Motocicleta, de Walter Salles.

Entre os filmes que disputam a indicação deste ano, destacam-se duas ótimas produções de gênero – O Animal Cordial, terror de Gabriela Amaral Almeida, e As Boas Maneiras, outro terror, da dupla Marco Dutra/Juliana Rojas. Ferrugem, de Aly Muritiba, já foi aprovado por uma plateia dos EUA, a de Sundance. Juventude, redes sociais, tudo isso pode somar. O veterano Cacá Diegues está na disputa por Grande Circo Místico. E há o belíssimo Benzinho, de Gustavo Pizzi. E o indicado do Brasil será…?

(A atriz Bruna Linzmeyer em cena do longa ‘O Grande Circo Místico’, de Cacá Diegues (foto: Divulgação)

 

Fonte: Estado de Minas||

Comentários
COMPATILHAR: