A Guarda Costeira dos Estados Unidos está à procura de 39 pessoas que desapareceram após o barco em que estavam virar em frente ao litoral da Flórida. As buscas ocorrem com base no relato de um homem encontrado sozinho agarrado ao casco virado da embarcação.

Uma nota emitida pela guarda costeira diz que uma pessoa resgatou o homem na manhã dessa terça-feira (25) em um ponto do mar a cerca de 72 km a leste de Fort Pierce Inlet. O indivíduo contou que o barco em que ele estava saiu com outras 39 pessoas a bordo de Bimini, uma ilha nas Bahamas a 80 km de Miami, na noite de sábado (22).

A suspeita das autoridades é que o naufrágio tenha ocorrido em meio a uma operação de tráfico de pessoas e, segundo o sobrevivente, o naufrágio ocorreu devido às condições meteorológicas adversas. Nenhum dos passageiros usava colete salva-vidas.

A identidade e a nacionalidade do homem resgatado não foram divulgadas e não são conhecidas as origens dos 39 desaparecidos. Vários barcos de patrulha e aeronaves foram mobilizados pela Guarda Costeira americana para rastrear uma área que vai das ilhas Bimini até Fort Pierce Inlet, mais ao norte.

As Bahamas, um arquipélago de 700 ilhotas (39 delas habitadas), costumam ser ponto de trânsito para imigrantes que tentam entrar ilegalmente nos EUA, em viagens marítimas arriscadas. Em geral, essas pessoas partem de Cuba e do Haiti.

Naufrágios, resgates e interceptações

Um porta-voz da autoridade marítima americana disse à agência de notícias Reuters que um resgate de 32 pessoas já havia sido feito na sexta-feira (21) após um barco virar na mesma região.

Também na semana passada, 90 dominicanos foram repatriados após três embarcações serem interceptadas na região de Porto Rico.

Em maio do ano passado, 12 cubanos morreram após a embarcação em que estavam virar próxima a Key West. Oito pessoas foram resgatadas com vida na ocasião.

Segundo a Guarda Costeira, ao menos 557 imigrantes já foram capturados desde outubro e cerca de 7,4 mil nos cinco anos anteriores somados.

Fonte: G1

Comentários