O número de consumidores que não honraram suas dívidas aumentou 21,4% no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período de 2010. Na comparação com fevereiro, houve um crescimento de 3,5% em março. Em relação ao mês de março de 2010, o aumento foi de 14,4%, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, divulgado nesta sexta-feira (8).
Os cheques sem fundos foram os principais responsáveis pelo crescimento do índice de fevereiro para março, com alta de 24,6%, seguidos pelas dívidas com os bancos (aumento de 3,4%) e os títulos protestados (alta de 7,8%). Já as dívidas não bancárias (cartões de crédito e com financeiras, lojas em geral e empresas prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram queda de 2,8%.
No primeiro trimestre de 2011, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das dívidas não bancárias teve queda de 16,5%. As dívidas com os bancos também apresentaram recuo, de 7,3%. Já os títulos protestados e os cheques sem fundos tiveram crescimento de 5,8% e 6,1%, respectivamente.
Segundo a Serasa Experian, o aumento da inadimplência é decorrente de fatores sazonais como o pagamento da última parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), a compra material escolar e despesas de férias e Carnaval no orçamento familiar.
Além disso, ?a ampliação do endividamento do consumidor ao longo dos últimos dois anos e o crescimento da inflação no começo de 2011 estão gerando dificuldades para os consumidores honrarem seus compromissos assumidos?, destaca a entidade, em nota.

Comentários
COMPATILHAR: