A quantidade de incêndios florestais em Minas Gerais aumentou. Em outubro deste ano, foram 142 casos, contra 20 no mesmo período do ano passado – um crescimento de 710%.
Apesar disso, de acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), houve uma diminuição da metragem das áreas queimadas no Estado. No ano passado, foram 16,5 mil hectares queimados, contra 6 mil neste ano.
No Parque Estadual da Serra do Rola Moça, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, por exemplo, foram 10.046 hectares queimados no ano passado, contra 1.970 em 2012. Um dos motivos da redução, segundo a secretaria, foi a instalação, neste ano, do sistema de videovigilância, que cobre toda a área do parque e facilitou a ação do Corpo de Bombeiros contra os focos de incêndio.
Para a subsecretária de controle e fiscalização ambiental da Semad, Marília Carvalho de Melo, a redução das áreas queimadas é resultado de uma mudança de estratégia no combate aos incêndios. Neste ano, priorizamos combater o incêndio florestal logo no início, assim que os focos são identificados, explicou.
Ainda de acordo com a subsecretária, o combate também conta com auxílio do monitoramento aéreo. Contratamos nove aviões e 12 helicópteros para ajudar no combate aos incêndios.
Calor
O balanço da secretaria ainda aponta um aumento nos focos de calor – pontos quentes detectados via satélite – em Minas Gerais. Enquanto em outubro do ano passado foram 1.871, houve 5.895 no último mês.
Por outro lado, as ocorrências de incêndios florestais diminuíram em 2012. Em setembro, foram 28,3 mil hectares incendiados em áreas internas. Em outubro, foram 12,3 mil.
Os incêndios no entorno das florestas também diminuíram neste ano: em setembro, foram 9.182 hectares e, diante de 1.577 no mês de outubro.

Comentários